terça-feira, 1 de outubro de 2013

Orphaned Land – “All Is One” – 2013 – Shinigami Records (Nacional)

Finalmente, após entrevistarmos o guitarrista Chen Balbus, em julho deste ano (confira a entrevista aqui), recebemos via Shinigami Records este que talvez seja o disco que representa o ápice do Orphaned Land. Maior banda de Metal da história de Israel, a banda é uma das mais diversificadas do Metal atual, porém sempre manteve alguns elementos característicos em sua música.

Mais uma vez abordando letras com contexto religioso, ou melhor, pregando a união dos povos monoteístas, “All Is One” soa mais direto que o último trabalho do Orphaned Land. Claro, arranjos intrincados e os tradicionais elementos da música árabe se fazem presentes e de forma maciça, mas o peso e a objetividade soam mais constantes no disco.

Outro fator preponderante para o alto nível de qualidade do álbum é o trabalho vocal, cheio de coros e linhas harmônicas que dão um clima erudito às músicas. Isso fica evidente desde a faixa título que abre o disco magistralmente. O ponto negativo fica para a falta de vocais guturais, já que Kobi Farhi está cantando limpo em todo álbum, com exceção da faixa Fail, onde introduz mais agressividade e vozes rasgadas.

O lado Progressivo ainda aparece nas composições, os riffs de guitarras estão mais em evidência, além da cozinha demonstrar mais variação. As melodias e interpretações emotivas de Farhi são outros pontos positivos. Destaque para as belas Brother (confira o clipe no final da resenha), Let The Truce Be Knows, Our Own Messiah e Children.

Com a produção da própria banda, em estúdios diferentes (Fascination Street Studios, na Suécia, no Bardo Studios & Black Knob, em Israel e no Sesler Studio, na Turquia), o trabalho mostra uma sonoridade ímpar e com muito equilíbrio. O Orphaned Land consegue como poucos se recriar, mesmo sem deixar suas características de lado. Fenomenal!


9,0

Vitor Franceschini



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Shinigami Records