quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Explicit Hate – 25 anos de “A View Of The Other Side”



Quase 36 minutos distribuídos em 7 composições. Com uma produção ‘decente’ para a época (o disco foi gravado em 16 canais, no J.G. Estúdio, em Belo Horizonte/MG) e com uma sonoridade à frente de sua época, o Explicit Hate deu àquele que seria o seu primeiro e único pontapé inicial até então.
Influenciados pelo Hardcore e Thrash Metal europeu, a banda mostrava uma linhagem diferente do que a maioria das bandas nacionais, principalmente os colegas de gravadora, apresentavam na época. “Sempre curtimos e tocávamos com bandas de temáticas diferentes da nossa, mas tínhamos uma forte influência do discurso Hardcore europeu, narrando os horrores da guerra, o caos social, e também temas escatológicos, até mesmo beirando a ficção científica”, conta o baterista Rod Santoro, que ao lado do seu irmão Gus Santoro (vocal/guitarra) encabeçam até hoje o Explicit Hate, e tinha ainda ao seu lado o guitarrista Victor Kelly.

Formação da época de "A View Of The Other Side"
Músicas trabalhadas, com instrumental destilando técnica e, de certa forma, até complexo, desde as bases e solos de guitarras, passando pela pesada linha de baixo (também a cargo de Gus) e bateria variada cheia de viradas, o Thrash Metal do grupo passava longe da renomada cena da Bay Area e seguia caminhos dos alemães do Kreator e Destruction, até na formação que gravou “A View Of The Other Side”, pois assim como as citadas bandas era um power trio. “Nós ensaiávamos em casa quase todos os dias, e o nosso quarto era um estúdio. Por sermos tão jovens, tínhamos tempo de sobra e evoluímos muito ali. Respirávamos ideias novas o tempo todo. Ouvindo, compondo, ensaiando, tocando... sem parar! (Risos)”, relembra o baterista, explicando os motivos da técnica e complexidade das composições.

Rod Santoro
O capa de “A View Of The Other Side”, o lado mais tosco e polêmico, talvez tenha até colaborado para que o sucesso do mesmo não tenha sido o merecido. As costas de duas mãos abertas não chamava nenhuma atenção senão negativamente, e Rod Santoro, bem humorado, explica tal fato. “A ideia da capa do disco era fazer algo tipo a cena do filme 'Poltergeist' (1982), com as mãos na tela de TV (A View Of The Other Side!?!). Tentamos, mas no nosso amadorismo, e certamente por causa da total falta de noção do fotógrafo, e da gráfica, ficou aquela beleza (risos). Mas agora não adianta culpar os outros, embora eu também não vá dizer que é o que queríamos! (mais risos) A mão na foto, é do nosso amigo Silvio Gomes, que na época era vocal do Mutilator (risos). Bem ou mal, ficou pra história. A minha sugestão em relação à capa, é que aumentem o volume! (risos)

Gus Santoro
Desde a primeira faixa Invasion From Inside (que gruda de imediato na cabeça), passando pelas matadoras The Mirror e The Other Side até a última composição, a instrumental The Trip, via-se uma banda promissora e diferenciada. Mas a gravadora não enxergou tal fato. “A repercussão naquela época foi muito boa, embora a gravadora tenha abandonado o interesse no disco logo no início. Por quê? não sei... Talvez a falta de visão por parte deles, e questões de "panelinha" também, o que sempre existiu”, desabafa Rod.

De qualquer forma, os verdadeiros conhecedores do underground nacional sempre valorizaram o trabalho, tanto que a procura na época foi boa e no ano passado a gravadora Marquee Records resolveu lançar o disco juntamente com todo material da banda remasterizados. Intitulado “A View of Every Side”, o CD saiu como uma compilação e resgata a história de uma banda que poderia estar no rol das principais do país.
Atualmente, o Explicit Hate tenta retornar a ativa e conta, além dos irmãos Santoro, com Alex Käffer (baixo, Mysteriis, Darkest Hate Warfront, ex-Coldblood e Songe d'Enfer). “Eu e meu irmão reunimos a banda em 2009, com o Alex na guitarra, e o Joel Jr. (Formigão) do Planet Hemp, no baixo. Fizemos uma demo, da qual gostamos muito, e inclusive duas das faixas entraram no relançamento de 2012, Sheeple e Population Zero. Agora em 2013 tentamos uma reunião novamente, e dessa vez como um trio, resgatando as raízes, mas também incluindo as diferentes fases da nossa trajetória sonora”, explica Rod.

Alex Käffer
Como nunca é tarde para recomeçar, há uma grande expectativa para que a banda volte a gravar e retorne aos palcos. “A banda foi formada por mim e o meu irmão, Gus. Nós sempre fomos os compositores e idealizadores do EH. Na maioria das vezes ele tinha os riffs, e tocando juntos determinávamos os arranjos, temas etc... Em minha opinião hoje, já com algum distanciamento, o EH resultou da química musical entre nós dois. Crescemos escutando música juntos, aprendemos a tocar juntos, e então nos tornamos uma espécie de indivíduo de quatro orelhas (risos)!”. Que esta química continue e retorne a dar bons frutos!

Vitor Franceschini

“A View Of The Other Side” – 1988 – (Cogumelo Records)
1.         Invasion from Inside
2.         The Mirror    
3.         The Other Side         
4.         No Life         
5.         Insanity Future         
6.         Suicidal Mankind     
7.         The Trip

Discografia:
- “Demo  (Demo - 1987)         
- “Suicidal Mankind” (Demo – 1987)            
- “A View of the Other Side” – (Full-length            1988)  
- “Ruins of Ambition” (Demo – 1988)           
- “From the Jungle” (Demo – 1990)   
- “A View of Every Side” (Compilation -2012)     

Relançamento 2012
   




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Shinigami Records