quinta-feira, 19 de dezembro de 2013



Formada por Katherine Roiz (vocal), Renata Petrelli (guitarra), Michele Campos (baixo) e Dany Diniz (bateria), as paulistanas da Marie Dolls não só embelezam o Hard Rock que praticam como o fazem com muita competência. Em 2013 a banda lançou seu primeiro registro, o EP “Desires my Fall”, que, segundo a guitarrista Renata serviu como um teste para a banda. Mesmo assim, o trabalho vem repercutindo bem e já mostra que a Marie Dolls já passou do ponto de lançar um debut. Confira abaixo o que a guitarrista tem mais a falar sobre este e outros assuntos.

Renata, você vem da Hellarise, ou seja, uma banda que investe em algo mais extremo, na linha do Thrash Metal. Quando montou o Marie Dolls pretendia algo mais ‘suave’ seguindo uma linha mais Rock/Metal?
Renata Petrelli: Não, na verdade, eu sempre gostei do estilo que desenvolvo na Marie Dolls, assim como o que desenvolvia na Hellarise quando fundei a banda, em 2009. Thrash e Death Metal são outras paixões para mim. No caso da Marie Dolls, que era para ser somente um projeto, eu já tinha músicas desde 2008, que obviamente não encaixariam na Hellarise (risos).

Como foi compor o EP “Desires My Fall”? Você é a principal compositora da banda ou todas trabalham em conjunto?
Renata: Sim, na verdade, eu componho as músicas, mando o esqueleto para as meninas, que melhoram seus instrumentos nas músicas. A mesma coisa das letras, mando para a Katherine que desenvolve a melodia de voz e encaixa a letra melhor.

É interessante notar na sonoridade da Marie Dolls que na parte instrumental, principalmente as guitarras, há muito peso. Mesmo assim o som da banda soa, de certa forma, acessível, não comercial. Isso flui naturalmente ou faz parte da proposta de vocês?
Renata: Foi naturalmente, acredito que as bandas que mais me influenciam em compor acabam por ser acessíveis como você disse.

Aliás, um elemento que colabora com este lado mais acessível são os ótimos vocais de Katherine Roiz.
Renata: Sim, com certeza! A voz da Kath que pende mais para o pop aumenta ainda mais isso e acho que faz um contraponto interessante com o peso das guitarras.



O EP conta com 3 músicas em inglês e Deseja Meu Mal que é cantada em português. Essa faixa foi exatamente escolhida para ser o videoclipe da banda. Qual foi o critério que usaram para escolher a música e por que justamente a cantada em português?
Renata: Na verdade, fizemos 2 videoclipes para a mesma música, que tem a versão em inglês e português. A ideia é ver qual direção tomar, não adianta. Primeiro registro é bem para testes mesmo. E a escolha desse som é porque é o mais pesado e tinha nos 2 idiomas.

O EP foi produzido por Rafael Agostino. Como foi trabalhar com ele e como sentiram o resultado final?
Renata: Bom, no momento que gravei o EP o Rafa precisou ser bastante paciente, principalmente para lidar com meus acessos de insegurança. (risos) Coitado! Mas eu gostei muito do registro, acho que foi o melhor possível que conseguimos, visto que a banda ainda nem estava formada, ai com a Kath, foi dado o toque e beleza final. Ela é bem profissional, então acredito que para o Rafa foi bem mais fácil... (risos).

Vocês já estão trabalhando no debut? O que podem adiantar a respeito?
Renata: Sim, já estamos. Na verdade estamos na metade do total de músicas que queremos para o Debut. Devemos regravar o EP, e já temos mais 3 que estamos ensaiando. Acredito que até março, teremos tudo já bem ensaiado para gravar.

Desde o nome, até o conteúdo das letras e, por que não, a arte gráfica do EP remete tudo à feminilidade da banda. A Marie Dolls é uma banda exclusivamente de mulheres? Enfim, se alguma integrante for substituída terá que ser por uma mulher?
Renata: (risos) Sim, a banda é exclusivamente de mulheres. Se algum membro sair, será reposto por outra garota! Mas as letras não são feministas nem remetem a isso. Remetem a sentimentos e o dia-a-dia que vivemos.

Quais os planos para 2014? Como anda a agenda da banda?
Renata: Muitos planos. Logo em Janeiro anunciaremos algumas novidades que já estão rolando. Pretendo retomar a atividade de shows para janeiro/fevereiro, enquanto isso é gás nas músicas próprias. E até meio do ano, nosso Debut. Talvez algum outro vídeo.

Muito obrigado, parabéns pelo trabalho. Podem deixar uma mensagem.
Renata: Vitor, muito obrigada pela entrevista, perguntas interessantes. Aos que acompanham a banda, logo menos teremos novidades.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Shinigami Records