sábado, 8 de março de 2014

Skinning – “Cerebral Mutilation” – 2013 - Raising Legends Records (Importado)

Surpreendente o primeiro trabalho destes portugueses de Guimarães. Fundada em 2011, o trio havia lançado apenas o EP “Beneth The Scars” em 2012 e agora estreia oficialmente com este trabalho que leva o singelo nome de “Cerebral Mutilation”.

Pela capa e nome do disco logo imaginamos algo voltado para o Splatter/Gore, porém, é um ledo engano. A brutalidade aqui caminha pelos trilhos do Death Metal mesmo, principalmente quando a denominação leva o termo brutal em sua composição. A temática abrange diversos aspectos, principalmente a mente doentia humana.

Destacando primeiramente o trabalho da guitarra, executado pelo também vocalista Vitor Lopes. Os riffs soam insanos e agressivos, lembrando o que Deicide apresentou em “Serpents Of The Light” (1997), ou seja, há uma pegada Grind nisso tudo, mas executado com mais versatilidade e variação.

Aliás, Vitor tem um timbre parecido com o de Glen Benton e Alex Camargo (Krisiun), ressaltando que, apesar destas influências, a sonoridade do Skinning possui uma característica própria. O baixo de Baal Roi faz o chão tremer com linhas diretas e nervosas que não dão descanso.

Mas, individualmente, o destaque principal sem sombras de dúvidas é o baterista Luís Barroso. Desumana, assim pode ser definida a precisão e velocidade que o cara demonstra em seu instrumento. Os ‘blast beats’ são verdadeiras britadeiras e as quebradas exploram de forma magistral os bumbos duplos. Intenso!

A produção do trabalho é boa, e deixou apenas a bateria um pouco estridente, o que não é um cisco perto da qualidade do disco, mas é sempre bom ressaltar. Destaque para Without Glory, I´m Still Victorious e Infested Land Of Mutilated Corpses, mas na boa? Melhor ouvir tudo. Belíssimo trabalho!


8,5

Vitor Franceschini


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Shinigami Records