sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Entrevista



Praticamente trabalhando em família, já que o baixista Daniel Dias é pai de Leandro Dias (guitarra) e Gabriel Dias (vocal), o Devachan soltou sua primeira demo “Andarilho” (2013) mostrando uma sonoridade diferente baseada no Rock/Heavy Metal e inspirada em letras criadas há mais de 30 anos. Ao lado de Bruno Caresia (bateria) e Michael Santos Verissimo (teclado), a banda agora busca mais espaço e está trabalhando em seu primeiro álbum. Falamos com Daniel e Leandro, que muito atenciosos, discorreram mais sobre a carreira e projetos do quinteto.

Como foi o processo de composição de “Andarilho”?
Daniel Dias - Em relação ao processo de composição, pode-se dizer que “Andarilho” foi o momento em que a união entre os integrantes definiu-se. Quando eu e Leandro Dias apresentamos o esboço do que seria o “Andarilho”, todos trabalharam a finco para transformá-lo na sonoridade atual. Já o processo de gravação foram seis meses de trabalho no estúdio Ponto Sonnoro em Sorocaba/SP. Foi um trabalho árduo e ao mesmo tempo recompensador. Foi como um filho que nascia, naquele momento estávamos para registrar o primeiro trabalho.

Apesar da proposta em tocar Heavy Metal, a banda apresenta uma sonoridade mais abrangente. Como definiriam a sonoridade do Devachan?
Daniel – Interessante esta pergunta. Nunca pensamos em seguir um único estilo e manter rótulos para nossa arte. Aproveitamos um pouco de todas as influencias dos músicos da banda e tentamos incorporar em nossas músicas. Acho que para nos enquadrar mercadologicamente, podemos dizer que tocamos Rock. Simplesmente.

Aliás, um aspecto importante a se destacar na música da banda são os arranjos de teclado, que de certa forma torna o som até mais sutil. O que podem falar a respeito?
Daniel – O som do teclado é essencial para o Devachan. Graças ao Michael Veríssimo conseguimos abusar das harmonias serenas e timbres diferenciados, sem perder o peso da guitarra e a pegada da cozinha.

A inclusão de coros em alguns refrãos também soa diferenciada.
Daniel - As ideias dos coros foram surgindo ao decorrer da gravação do EP. Optamos por agregar o Latim em algumas músicas, como no caso da Mente em Sonhos, por ser nosso português derivado deste idioma. Resumindo, fomos sentindo as músicas e incorporando as frases em seus devidos lugares.

Vocês cantam em português e fazem questão de ressaltar este aspecto. Por que decidiram cantar em nossa língua pátria?

Leandro Dias -
Estas letras foram escritas há mais de 30 anos pelo meu pai Daniel Dias. Eram poemas, na verdade. Aos poucos ele mesmo foi criando harmonias no violão, mais voltadas ao Blues/Country com um toque da MPB. Eu e meu irmão, quando crianças, ficávamos escutando e prestando atenção, principalmente nas letras, pois achávamos aquilo uma lição de vida. Ao criarmos o Devachan, queríamos expor o mesmo sentimento que tínhamos ao escutar as composições, aquela vontade de procurar o caminho, sem tristezas. Nada melhor do que passar estas mensagens em nossa língua para um melhor entendimento, já que no Brasil o Heavy Metal ainda é mal interpretado.



Nota-se mensagens positivas nas letras, o que a banda tenta passar nelas?

Leandro –
Essas composições são reflexo de um processo de reforma interior que meu pai passou nos anos 70. Quando eu me irmão Gabriel Dias (vocal) decidimos trabalhar nestas letras, foi pela essência da sua mensagem que, resumindo, seria: não adianta reclamarmos de sistemas políticos, religiosos, econômicos, etc, é preciso nos conhecer interiormente, realizar a mudança de dentro pra fora, para que então tudo trabalhe em perfeita harmonia.

“Andarilho” foi lançado no ano passado. Como a banda o vê atualmente e como tem sido a repercussão do trabalho até então?
Leandro - “Andarilho” foi nosso ponto de partida. Temos muito carinho por esta demo. Em relação à repercussão, ficamos um pouco surpresos e felizes com a resposta positiva que “Andarilho” teve. Nos deu aquele “gás” para trabalharmos com afinco no nosso primeiro álbum que, podemos afirmar, estará soando muito mais maduro.

E como está a agenda de shows da banda?
Leandro - Em termos de shows, a turnê de divulgação do “Andarilho” já incluiu apresentações ao lado do Dr. Sin em Sorocaba/SP; também participamos do festival “Loucos por Vinil” em Embu das Artes/SP, fomos a principal atração do Encontro de Motociclistas em Boituva/SP, entre outros shows. No segundo semestre de 2014 estaremos um pouco longe dos palcos e focados exclusivamente no processo de pré-produção e início das gravações do nosso álbum debute.

Uma pergunta em particular para Daniel Dias. Daniel, para você, como é poder ter seus filhos na banda e como é o trabalho?
Daniel – Ter meus filhos tocando comigo e querendo mostrar minhas composições reflete, na íntegra, tudo aquilo que os ensinei através de palavras e ações durante essa jornada da vida. O mais importante é que não existem “pais e filhos”, mas sim uma união de ideais que ultrapassa a barreira da idade. Todos têm seu próprio pensamento e sempre aprendi muito com eles também. Essa felicidade de estarmos juntos é única, incomparável e eterna. Isso me faz sentir sempre com o espírito jovem, preparado para o que vier.

Quais são os planos para um debut? Há algo que possam adiantar?
Leandro - Estamos em processo de pré-produção do álbum. Pretendemos entrar em estúdio logo agora no segundo semestre de 2014. Podemos adiantar que as músicas irão mostrar uma nova face da Devachan.  Estamos com muita mais maturidade que na época do “Andarilho” e sabemos atualmente qual caminho percorrer. Não podemos divulgar ainda, mas estarão pessoas de peso do mercado nacional e internacional trabalhando conosco nesse novo trabalho. Aguardem novidades de arrepiar.
Mais Informações:
www.bandadevachan.net

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Shinigami Records