terça-feira, 12 de agosto de 2014

Torture Squad – “Esquadrão de Tortura” – 2013 – Substancial Music (Nacional)

Não há dúvidas que a saída do vocalista Vitor Rodrigues (Voodoopriest) foi fortemente sentida pelo Torture Squad, mas principalmente pelos fãs. Afinal, Vitinho – como é carinhosamente chamado – é um baita vocalista e possui grande carisma. Porém, toda banda está sujeita a esse tipo de baixa e o Torture Squad superou isso de alguma forma.

Permanecendo como um power trio, o grupo decidiu seguir com o guitarrista André Evaristo nos vocais o que naturalmente fez com que sua sonoridade mudasse, mas mantendo a característica e pegada da banda. Isto é sentido principalmente no fato de a mescla de Thrash/Death Metal de outrora não se fazer presente, já que elementos do Metal da morte são praticamente nulos no álbum.

“Esquadrão de Tortura” mostra um Torture Squad extremamente técnico e caminhando firmemente pelas trilhas do Thrash Metal. A sonoridade mostrada no trabalho lembra muito o de ícones atuais que voltaram aos holofotes nos últimos anos tal como Destruction, Exodus, porém com uma produção mais seca.

Outro fator diferenciado, é que a banda usou uma temática conceitual baseada nos ‘anos de chumbo’ da ditadura militar brasileira. O trio estudou muito os fatos, caprichou nas letras (incluindo aí informações precisas com textos no encarte), além de adaptar a sonoridade de cada canção conforme o tema.

Além de tudo, “Esquadrão de Tortura” é o álbum mais variado da banda, com elementos adicionados na medida certa aos arranjos e mostra uma banda extremamente segura e coesa. Tudo isso com uma produção de primeira linha a cargo da banda, Brendan Duffey e Adriano Daga, no Norcal Studios.

Mas sim, a falta de Vitor é sentida, mesmo com a sonoridade diferente dos trabalhos anteriores. Apesar do esforço, o timbre rasgado e agudo de André soa estranho e faz com que o ouvinte demore para se acostumar, soando monocórdio na maioria das vezes e chegando a cansar em certos momentos.

Porém, os pontos altos de “Esquadrão de Tortura” (que conta com a participação de João Gordo, Fernanda Lira, Sphaera Rock Orchestra e muito mais) são maioria massacrante e inclua a isso a bela arte da capa (por João Duarte), a embalagem em slipcase, pôster com as letras e tudo mais.


8,5

Vitor Franceschini


Um comentário:

  1. Eu acho que esse tipo de album com temática dessa, tinha que ter o som totalmente português. Não faz sentido algum esse album com letras em inglês. Torture Squad perdeu uma grande oportunidade de ousar... e a temática ajudava muito... uma parte da história do nosso país.

    ResponderExcluir

Shinigami Records