terça-feira, 4 de novembro de 2014

Degolate/Gulag – “Consanguineous Fury” – Split – 2014 – Independente (Nacional)

“Consanguineous Fury” é um split que marca a estreia em registro de duas bandas. De Atibaia/SP vem o Degolate, enquanto o Gulag tem sua origem fincada em Campinas/SP. Ambas investem no Death Metal e, obviamente, cada uma do seu jeito e com competência.

O Degolate surgiu das cinzas do Cruscifire, nome que gerou bons frutos e sabe-se lá porque deu uma pausa em suas atividades. A banda investe em um Death Metal agressivo, com resquícios do que nos habituamos a chamar de Brutal Death Metal. Além de tudo o trio injeta doses homeopáticas de ‘groove’ em sua música, fato evidente em Scalped Murder.

O som do trio mostra certo dinamismo, com levadas raivosas de bateria e riffs de ótima qualidade. Victor Angelotti, também baixista, parece estar urrando bem melhor que em sua antiga banda e seus vocais se encaixam perfeitamente com a proposta. Destaque também para a brutal Rot Alone (que lindo nome).

O Gulag, que curiosamente também é um trio, parte para um lado mais obscuro e ‘old school’, o que não quer dizer que seu som também não possui brutalidade. A diferença é que a banda varia mais em seus ritmos e possui composições mais mórbidas, além de apostar numa produção mais orgânica.

Sem dúvidas a influência do Metal extremo de ‘raiz’ faz com o que som da banda soe muito interessante e cative os fãs mais ardorosos do Death Metal. Os vocais de André Neil (também guitarrista) são cavernosos e resgata um jeito de cantar que não se vê desde um passado recente. As quatro faixas são de ótimo nível.

“Consanguineous Fury” une duas bandas de extrema categoria e fogem dos padrões atuais do Metal extremo, provando que underground nacional ainda tem muitos frutos a dar. Se és fã de Death Metal de alta qualidade e com aquela veia nacional, não pode perder este trabalho.




8,5

Vitor Franceschini



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Shinigami Records