sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

D.A.M. – “The Awakening” – 2014 – Independente (Nacional)

O melhor ao ouvir este segundo trabalho dos mineiros do D.A.M. é que a banda aparou praticamente todas as arestas encontradas nos trabalhos anteriores. Praticamente todas as falhas – que já demonstravam qualidade – foram sanadas, o que gerou um álbum de extrema qualidade.

Liderado pelo vocalista e tecladista Guilherme de Alvarenga, a banda faz um Melodic Death Metal mais visceral, na linha de nomes como Children of Bodom e Excess Of Cruelty. Isto é, o instrumental é praticamente Power Metal, tendo vocais rasgados como os principais.

O diferencial é que o D.A.M. explora mesmo a melodia e o faz tão bem que, mesmo com o excesso, não deixa o som enjoativo ou açucarado demais. Talvez os arranjos soturnos e a agressividade da maioria das músicas auxiliem muito bem nisso. Aliás, os arranjos são grandiosos, colocando a música da banda um patamar acima.

Guilherme está cantando como nunca. Seus vocais rasgados estão mais inteligíveis e bem encaixados, além de equilibrados. Não bastasse isso ele ainda se sai muito bem nos vocais limpos. As guitarras estão com timbres ideais e possuem ótimas linhas, assim como o baixo faz sua lição certinha.

Destaques são vários, principalmente quando a banda soa mais dinâmica, exemplo de composições como The Great Work (Magnum Opus Part I), Lies, Illusions, Nightmare (T.M.S. pt IV) e Separation. Com certeza esse trabalho merece atenção, pois trata-se de algo muito bem feito.


8,5

Vitor Franceschini


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Shinigami Records