terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Monolith – “Dystopia” – 2014 - Final Gate Records (Importado)

Como sabemos que criatividade e talento são coisas realmente sem fronteiras, temos aqui esse excelente trio batizado por Monolith. A banda investe em um Rock ácido e atmosférico completamente enraizado nos anos 70 e até que não é adepto ao estilo logo percebe a influência “Sabbathica” até o último acorde, sem esquecer-se do grande talento do vocalista que parece ser o próprio Ozzy Osbourne tomando frente de todo trabalho.

Assim como o Kadavar, que é outro grande destaque de bandas atuais em se criar um trabalho completamente saudosista, o Monolith apesar das comparações, mostra ser uma banda com bastante identidade própria. O som produzido pelo trio é de alta competência e conseguem facilmente prender a atenção do ouvinte. Guitarra bastante densa e riffs sombrios, a cozinha é bem carregada e técnica sem muita firula, direto ao ponto e a linha vocal é completamente uniforme.

As sete músicas encontradas aqui são todas realmente bem trabalhadas e diversificadas. Won’t Com Down abre o disco com uma pegada Hard “setentista” com pitadas de uma grande banda da época, Sir Lord Baltimore e algo a se destacar é a perfeição do solo executado assim como o baixo que mostra uma linha de escalas com peso. Cosmic Fairy e Hole parecem ser algo que ficara de fora do grande disco “Master Of Reality” (1971) do Black Sabbath, grande destaque para o trabalho da guitarra em ambas que destilam riffs e bases em uma linha Doom.

A faixa título Dystopia já entra na pegada Doom, bem arrastada com um vocal fúnebre e obscuro, com quase oito minutos de música a viagem é garantida. Acid Rain continua se arrastando até chegar ao peso macabro de Sleepless Eyes, música bastante atrativa e viciante. Encerrando toda essa “maldição”, Rainbow fecha a tampa do caixão com um som completamente psicodélico e diferente, mostrando que a saga pode continuar. Recomendado para os fãs mais fervorosos do Mr. Madman.


8,0

Leandro Fernandes


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Shinigami Records