quinta-feira, 18 de junho de 2015

Piah Mater – “Memories of Inexistence” – 2014 – Independente (Nacional)

Há tendências que vêm pra ficar, pode acreditar. Desde que Chuck Schuldiner moldou de vez o som técnico da banda Death, o Death Metal passou a consumir até de forma natural características musicais progressivas, até que vieram outras bandas – como o Opeth, por exemplo – e definiram de vez a junção gerando o Progressive Death Metal.

Hoje o estilo tem vários adeptos (não em demasia a ponto de ser moda) e atinge até certa evidência, pois une características de dois estilos que possuem fãs fieis. É certo que isso não irá acabar, afinal não é nada gratuito ou de fácil assimilação, e muito menos entrar no esquecimento. O máximo de se acontecer é se tornar um estilo Cult.

Adotando esta linha, o duo carioca do Piah Mater mostra um talento imprescindível e um conhecimento de causa certeiro. Luiz Felipe Netto (vocal/guitarra/baixo/bateria programada) e Igor Meira (guitarra) adotam diversos elementos comuns do estilo, aliando isso à técnica, o que resulta em um som muito bom de ouvir.

Com exceção do tempo das músicas (em média 8 minutos), a dupla não exagera em nada. Ritmos cativantes, pegada certeira e quebradas bem encaixadas se aliam a peso e melodia na medida certa, e passagens acústicas brandas. Tudo tendo vocais guturais/rasgados se alterando com limpos dando uma qualidade extra ao disco.

A produção do trabalho (que teve a mixagem de Tony Lindgren no Fascination Street Studios, Suécia) é outro grande trunfo, soando exatamente como o estilo pede: limpa, mas sem soar plastificada. Injusto seria destacar apenas algumas composições, até porque as mesmas se completam. Muito bom!


9,0

Vitor Franceschini


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Shinigami Records