terça-feira, 28 de julho de 2015

Verborragia Sonora


O Heavy Metal é para poucos?


Por Luis Carlos


Dias atrás eu li uma frase que dizia: “O Heavy Metal é para poucos” e indaguei sobre o que realmente isso significava e se realmente isso fazia sentido ou mesmo parecia um simples delírio de quem é fã mais ardoroso do estilo.

Isso pode parecer um pouco contraditório quando reclamamos de que o estilo não tem espaço na mídia como deveria e sobre o suposto preconceito contra o estilo, do contrário, dizer que o estilo é para poucos parece também que nem todos podem conhecer o estilo, o que me soa um pouco preconceituoso ao ponto de perguntar: Por que não? Muitas vezes acabamos “batendo na mesma tecla” quando atacamos determinados artistas, mesmo aqueles que faleceram, ao ponto de se perguntar: “Agora todo mundo é fã de fulano”, mas por que não podem ser fãs também? Por que não é Rock ou Metal? Será mesmo que esses artistas não possuem o seu valor e que possuem muitos fãs? Daí indagações sobre “fulano aparece demais na mídia x e que sempre está na mídia y” esbarra em outra pergunta: Mas e daí? O Metal não é para poucos?

Eu acho que o Metal é para muitos, poucos talvez sejam aqueles que manifestam a sua vontade como se expressasse a opinião de um todo, o que de fato não é, afinal, até mesmo dentro do próprio estilo existem suas subdivisões e gostos pessoais, inclusive a minha. A verdade é que não existe gosto musical melhor do que outro, é questão de preferência.

Roger (Ultraje A Rigor) e Shadowside


É possível pedir respeito quando não se respeita? Lembrando ainda de quantos músicos consagrados dentro do próprio estilo tocaram e/ou admitem curtir outros estilos, e certamente, o fato do seu julgamento sobre ele quanto a ser um traidor ou algo do tipo não vai fazer a mínima diferença, acredite nisso. Você pode não gostar, aceitando ou não, mas nada vai pode fazer, a não ser que você resolva vender seu trabalho ou mesmo tacar fogo nele, o que não me parece tão sensato. Falando em artistas, até aproveito para lembra que já li e ouvi sobre artistas de outros estilos dizendo que curtem Metal, caso do Christian e Ralf, lembro-me dos caras da Plebe Rude e do Ultraje usando camisas do Saxon e Metallica, inclusive o próprio Roger do Ultraje produziu um disco do Korzus e da Shadowside. Você vai negar estas bandas também? Novamente eu acho que não seja o mais sensato a se fazer.

O que é para poucos talvez tenha o temor de que aquilo que gosta acabe como se diz: “se vendendo”, mas, vai me dizer que muitas vezes não é legal ver o estilo “invadindo” determinada mídia? Recordo-me novamente do Ratos de Porão no programa do Gugu. Isso afetou a música da Banda? Creio que não. Eu achei legal o Hudson da dupla sertaneja “Edson e Hudson” fazer um disco solo de Metal e isso prova que o cara curte, pois duvido que ele tenha feito isso por dinheiro, a não ser que você acredite que o estilo faz mais dinheiro que o Sertanejo? Creio que não.

Se o Metal é para poucos, certamente eu não faço parte dessa pequena estatística que toma para si algo de que gosta e de que isso deve servir para todo mundo, bem, não para mim, um fã de Heavy Metal desde a década de 80, mas, que cresceu ouvindo Iron Maiden e The Smiths, Quiet Riot e The Cure, Sepultura, Stress, Ultraje a Rigor, Plebe Rude, etc. Isso não faz de mim um Headbanger, mas, faz diferença isso? Se isso for algum grau de hierarquia, me avisem.









LUIS CARLOS é Produtor da Be Magic e faz eventos de Heavy Metal no Rio de Janeiro, tocou Bateria na extinta Statik Majik e hoje faz parte na The Black Rook.

2 comentários:

  1. Nara Alejandra Vera29 de julho de 2015 09:47

    Por que para poucos? Que eu me lembre o Heavy Metal não é uma sociedade secreta e muito menos um clube para frequentadores seletos.Sempre haverá esse tipo de pensamento, pois esses ditos headbangers verdadeiros criaram um esterótipo de que o verdadeiro headbanger é aquele que anda de preto , cheio de arrebites, escuta o som no talo...Você não precisa de nada disso para ser um Headbanger...Para ser um headbanger, basta uma coisa muito simples..sentir e curtir o estilo com a alma e respeitar toda as vertentes do estilo e o jeito de cada.um.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pela coluna Luis Carlos!!O heavy metal e o punk são mesmo para poucos ouvidos...Há 35 anos que vejo pessoas descobrindo esses domínios que vão além da música propriamente dita...muitos vivem seus ritos de passagem, depois abandonam o "rocker way o life" e abraçam outras realidades. Eu sigo convicto desde os 14 anos de idade.

    ResponderExcluir

Shinigami Records