terça-feira, 22 de setembro de 2015

Dust Commando – “Chaos Live In Fur” – 2015 - XMetal EmpireX (Nacional)

Quando iniciou suas atividades em 2013, o Dust Commando tocava covers de nomes como Iron Maiden, Pantera, Black Sabbath e Metallica. Até aí tudo normal, afinal, a maioria das bandas começam por aí. O interessante é que o grupo de Taquari/RS moldou seu som de forma diferente dos nomes citados (com exceção do Pantera).

Formado por Thiago Rabuske (vocal/baixo, ex-Orange Background), Gabriel Alexandre (guitarra), João Vitor Martins (guitarra) e Felipe Silva (bateria e backing vocals) – estes três todos ex-integrantes da banda Polaris – o Dust Commando trilha caminhos que vai do Alternativo ao Metal.

O maior mérito do grupo em seu debut é juntar elementos de vários estilos e manter uma característica. Característica essa que é difícil de ser imposta já no debut, mas que a banda conseguiu tal proeza. Outro fator importante é que sua música ao mesmo tempo em que soa pesada, possui elementos acessíveis, fruto do bom trabalho de arranjos e melodia na medida certa.

A agressiva This Is Passion abre o disco de forma enérgica e agressiva, mas já deixa evidente que a banda não aposta somente em extremos. Mesmo com uma boa e veloz levada, a música tem seu ar Alternativo e é um hit. Heavyweight Dinosaurs, que vem logo em seguida, agradará fãs de Down e até de Alice Chains, com seu ar ‘Grunge psicodélico’.

As dez composições seguem uma alternância de ritmos e variando nos elementos de uma forma incrivelmente homogênea e bem estruturada. Ainda pode-se destacar Narc que soa entre o Grunge, Alternativo e Metal, e a técnica Holdon que carrega influências de Stoner e Southern Metal com inclusão de elementos acústicos, variação nos arranjos e uma melodia cativante (principalmente nos solos), fechando o trabalho com chave-de-ouro. Alguns ajustes na produção seriam necessários (ficou com algumas leves falhas), mas nade que tire os méritos que aqui ganham de goleada. Bela estreia.


8,0

Vitor Franceschini


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Shinigami Records