quarta-feira, 16 de setembro de 2015

InteraBanger: Iron Maiden



A seção InteraBanger do Blog Arte Metal, além de procurar inovar e tirar o veículo de certa rotina, tem o intuito de interagir com o leitor, músicos e especialistas no assunto sobre álbuns polêmicos ou não de bandas já consagradas e relevantes. Outros assuntos relativos às bandas ‘mainstream’ também serão comentados esporadicamente.

O novo e aguardado álbum do Iron Maiden, “The Book of Souls” foi jogado aos cães aqui e parece ter agradado. Talvez seja o InteraBanger com mais comentários diversificados. Não poderia deixar de ser, afinal trata-se de uma das maiores bandas da história, senão a maior.

“Um belo álbum, faixas marcantes com riffs, letras, ritmos e solos perfeitamente a altura uns dos outros. Iron Maiden sendo Iron Maiden! Bruce já não sendo mais o mesmo de “The Number...” (1982) ou “Piece of Mind” (1983), porém ainda é Bruce, ainda é grande!” (Guilherme Silva, leitor – Parapuã/SP)

“Muito bom, sinceramente não esperava um disco tão bom dos caras...” (Zam Ferretti, leitor – Leme/SP)

“Vamos combinar, não tem o que falar deste disco... é simplesmente incrível!!!” (JP Carvalho, vocalista da banda Yekun - https://www.facebook.com/yekunmusic)

“Um disco com "pegada" Iron Maiden, sem invenções, por isso, maravilhoso! Alguns dizem que a banda faz mais do mesmo. Mas o que querem? Funk Carioca? Sertanejo Universitário? (risos) Os caras criaram e protagonizam um estilo dentro do Metal, só por isso já vale a pena!” (Adalberto Belgamo, leitor – Araraquara/SP)

“Eu gostei muito... Principalmente a performance do Bruce. O resultado ao todo já era esperado.” (Luiz Carlos Talo, vocalista da banda Simpsons of the Universe - https://www.facebook.com/SimpsonsOfTheUniverse?fref=ts)

“Achei um discão. Não é um clássico, mas o melhor deles com Bruce desde “Seventh Son...” (1988)” (Marcos Garcia, Metal Samsara - http://metalsamsara.blogspot.com/)



“Eu gostei bastante, preciso ouvir mais ainda, mas com certeza é um excelente álbum, só não concordo com afirmações de ser o melhor depois de “Seventh Son...”, até porque pra bater “X Factor” (1995) é dificílimo.” (Jairo Vaz Neto, vocalista da banda Chaos Synopsis - http://www.chaossynopsis.com/)

“Mais do mesmo, sinceramente um álbum comum, nem ruim nem ‘OOOOOOO’. O que mais gostei foi da capa.” (Ronaldo Xulipa, leitor – Avaré/SP)

“Achei o CD muito bom músicas bem elaboradas e executadas, e o melhor álbum desde “Brave New World” (2000) pra mim.” (Gilvan Rocha da Silva, leitor – São Joaquim da Barra/SP)

“Um bom álbum, apenas. Nada de excepcional.” (Juninho Arthuso, leitor – Votorantim/SP)

“Boas ideias e uma execução ruim, muito cheio de pompa, poderia ter sido um GRANDE álbum, mas ficou cansativo e repetitivo. Empire Of The Clouds é chatíssima, The Man Of Sorrows idem, The Red And The Black poderia ter metade da duração... Um disco apenas bom, mas que poderia ter sido MUITO bom.” (Fabio Reis, Mundo Metal - https://www.facebook.com/mundo.metal.page?pnref=lhc)

“Um disco maravilhoso, só para os fãs que conseguem entender as faixas longas.” (Victoria Lopes, leitora – Santo André/SP)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Shinigami Records