segunda-feira, 27 de junho de 2016

Soto – “Divak”

(2016 – Nacional)
                                              
Shinigami Records

Desde que resolveu pegar o seu sobrenome e transformar em banda, o cantor Jeff Scott Soto não perdeu tempo e em pouco mais de um ano soltou dois trabalhos oficiais. O debut “Inside The Vertigo” (2015) apresentou a nova proposta da banda ao mundo e este novo “Divak” veio consolidá-la.

Sem dúvidas esta é a fase mais pesada de Soto que já integrou diversas bandas (sendo as principais Yngwie Malmsteen, Talisman e Journey), além da mais moderna. Mas, não se engane achando que o que temos aqui soa tendencioso, até porque a roupagem é bem atual com músicas que nos remete a estilos das antigas, como o Hard, o Heavy e o Progressivo.

Os ritmos ‘grooveado’ como Soul e Funk – gêneros que sempre andaram ao lado de Soto - se fazem presentes, mas de uma forma mais leve, quase que homeopática. Porém, ajudam muito a situar a musicalidade do trabalho, o diferenciando das coisas tão comuns que costumamos ouvir atualmente.

As guitarras do disco, a cargo do brasileiro BJ (também tecladista) e Jorge Salan, soam agressivas, porém com um timbre um tanto quanto envernizado demais (aliás, a produção se excedeu nesse quesito). Mas é impossível não admirar os riffs bem desenvolvidos e os solos bem encaixados e nada exorbitantes.

A cozinha é um show à parte, com uma pegada certeira na bateria de Edu Cominato (mais um brasileiro) e do baixista David que traz linhas concisas, que ao invés de apenas segurar a onda, acrescenta na sonoridade da banda. É chover no molhado dizer que Soto está cantando como nunca, encaixando seu ‘vozerão’ bem como sempre e até soando um pouco mais agressivo aqui.

A produção soa extremamente atual e, como disse anteriormente, até um tanto ‘envernizada’. Mas, dizer que isso é um defeito é injustiça, afinal a qualidade é acima da média e só os ouvidos mais radicais não conseguem assimilar. O fato é que “Divak” é um disco legal pra caramba e tomara que Jeff Scott Soto mantenha esse projeto por muito tempo.


8,5

Vitor Franceschini


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Shinigami Records