terça-feira, 21 de junho de 2016

Zombie Cookbook/Rancid Flesh – “Among The Living...Dead”

(2016 – Split - Nacional)   

Zuada Records/Sonoros Records

Eis que os deuses da podridão (!?) traçaram um destino de juntarem duas instituições brasileiras especializadas no estilo para lançar este split 7” em vinil. Feliz daqueles que amam a música extrema e seu lados mais asquerosos, afinal temos aqui música brutal, suja e rançosa.

Quem está no lado A são os zumbis de Santa Catarina da Zombie Cookbook que mantêm sua pegada característica, trazendo influências do Death Metal e Grindcore, além do tradicional flerte com o Thrash. Na temática o horror-B, sendo que as duas composições aqui presentes ficam entre as melhores da carreira da banda até então.

As guitarras um tanto quanto ríspidas dão o tom, sendo que a cozinha intensa tem como destaque as viradas insanas do baterista Dr. Freudstein. Os vocais de Dr. Stinky seguem a escola John Tardy (Obituary) e Chuck Schuldiner (Death), este último em seus primórdios, e soa como um dos grandes atrativos. Destaque para ambas as composições, sendo que Grave Robbers já marca território na primeira audição.

Do lado B a dupla nordestina que une Ceará e Rio Grande do Norte, o Rancid Flesh, dá as caras com seu Goregrind inescrupuloso e mostra estar em grande forma. Quando parecia impossível deixar sua sonoridade ainda mais pesada, a dupla aparece com estas três novas composições.

Objetivas, as músicas contam com guitarras baixas e riffs brutalmente bem elaborados. Há também um flerte maior com o Death Metal, principalmente pela variação rítmica e mudança de andamentos (ouça a faixa Human Head Eater), além dos vocais cavernosos de Laerte Guedes.

Com uma boa produção de ambos os lados, “Among The Living... Dead” mostra a qualidade de duas principais bandas extremas do cenário underground atual. Quem conhece e gosta irá gostar ainda mais, já que ainda não teve a oportunidade de ouvi-las, essa é uma boa chance, já que além de tudo, o disquinho vem numa embalagem maravilhosa.


9,0


Vitor Franceschini

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Shinigami Records