quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Slechtvalk – “Where Wandering Shadows and Mists Collide”

(2016 – Importado)
                          
Independente

É natural que quando recebemos um material de algo que ainda não conhecemos, nós redatores pesquisamos sobre a banda. Aliás, não é natural, é uma obrigação. Neste caso foi necessário, pois a este que vos escreve, o Slechtvalk é novidade, apesar de a banda já ter atingido a maioridade, sendo que iniciou sua carreira em 1999 sob a alcunha de Dommer.

Tendo iniciado como uma ‘one-man-band’ de Shamgar (vocal/guitarra), o agora quinteto holandês chega ao seu quinto álbum de estúdio e mostra uma evolução imensa em relação aos seus trabalhos anteriores, assim como mostra que encontrou sua real sonoridade.

Não, claro que a banda não fazia nada depreciável, mas era algo comum em termos de Black Metal, sempre primando pelas características Viking encontradas em sua música. Hoje, o segundo estilo citado se faz fortemente presente, se utilizando de boa melodia e variações tanto no instrumental quanto nos vocais.

Com guitarras cortantes em riffs de ótimo bom gosto se aliando a uma cozinha poderosa e versátil, a banda consegue gerar uma sonoridade que serve como trilha perfeita para batalhas épicas sangrentas. Da velocidade onde as armas são acionadas, o grupo consegue induzir a quebradas que servem como marchas à guerra de forma natural e com muita competência.

Tudo isto soando puramente Metal, sem encher o trabalho de arranjos e instrumentos atípicos (com leves incrementações acústicas), fugindo um pouco do comum. Em alguns momentos, as melodias caem para algo mais reflexivo e melancólico, mostrando como a banda consegue transitar por diversos climas e emoções.

A cereja do bolo são as linhas vocais de Shamgar, que em sua maior parte soam rasgadas, porém não abandonam o gutural tradicional e trazem também coros limpos e graves, dando a tônica necessária ao conjunto da obra. A qualidade do disco é tão grande, que dificulta na hora de escolher uma ou outra faixa como destaque. Então, divirta-se com o álbum todo.


9,0

Vitor Franceschini


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Shinigami Records