quinta-feira, 31 de agosto de 2017

InterBanger: Accept



O Accept chega ao seu ‘quarto’ disco desde o seu renascimento em 2009 quando se ‘redescobriu’ com o vocalista norte-americano Mark Tornillo. Sem deixar a peteca cair, o novo trabalho agradou em cheio os fãs que não economizaram no ‘old school’ para caracterizar “The Rise of Chaos”. O disco também marca a estreia do guitarrista Uwe Lulis (ex-Grave Digger) e do baterista Christopher Williams em estúdio. Confira a opinião da galera.

“Discaço, mantendo a regularidade nos lançamentos incríveis dos últimos anos, a banda está coesa demais e Mike Tornillo continua dando aula no vocal, que disco, recomendado pra todos ouvirem.” (Augusto Junior, Portal do Inferno - http://www.portaldoinferno.com.br/)

“Fantástico... não tão pesado como os anteriores, mas é Accept puro na essência. Mark Tornillo fez essa banda renascer.” (JP Carvalho, vocalista da Yekun - https://www.facebook.com/yekunmusic/)

“Excelente! Heavy metal da essência ‘old school’.” (Lux Ferre, leitor – São Paulo/SP)

“Bem melhor que o anterior! Gostei bastante.” (Rômel Santos, Dunna Records - https://www.facebook.com/pg/DunnaRecords)

“Nunca fui muito fã, mas esse disco tá soberbo. Moderno, pesado, mas com o espírito ‘old schoo’l aflorado. E Mark Tornilo dá um pau no Udo. Que voz sensacional da porra.” (Ricardo Leite Costa, Metal na Lata - http://www.metalnalata.com.br/)

“Sempre que escuto uma banda clássica capaz de inovar sem perder a essência fico impressionado, sem sombra de dúvidas um disco excelente.” (Alexandre Rodrigues, Crushing Axes - http://www.crushingaxes.com.br/)

“É bom, mas o primeiro com o Mike continua o melhor dessa nova fase. Acho que o pessoal exagera um pouco nos elogios pra esse álbum. Apenas bom, existem muitos lançamentos melhores no momento.” (Luis Evandro Cavalheiro Moreira, leitor – São Gabriel/RS)



“Décima quinta pedrada de uma discografia riquíssima e consolidada. Uma aula (mais uma) de Heavy Metal.” (Paulo Pontes, jornalista)

“Puta disco! Aliás, desde que esse Tornillo entrou no Accept, eles só mandaram discos sensacionais. Wolf Hoffman é o cara! Pra ouvir da primeira à última faixa com o punho erguido (risos).” (Vitor Caricati, guitarrista da Overthrash - https://www.facebook.com/bandaoverthrash/)

“Achei lindo, sensacional, uma tremenda aula do verdadeiro Heavy Metal. Aura ‘old school’ com uma produção impecável. Que álbum! Um dos melhores do ano até agora, em minha opinião.” (Felipe Castro, leitor)

“Eu achei o disco mais direto do que os últimos, até melhor do que os álbuns anteriores, ótima produção. Mais uma vez o Accept não veio pra brincar, me agradou bastante!” (Joel Silva, leitor – São Paulo/SP)

“Bem, ouvi bastante, achei um ótimo disco. Mas da fase de Mike Tornillo, o “Blood of the Nations” (2010) é o melhor. E se compararmos com o passado, não é tão bom como o “Restless & Wild” (1982) ou o “Balls to the Wall” (1983), mas bate o “Metal Heart” (1985) e o “Russian Roullete” (1986).” (Marcos Garcia, Metal Samsara - https://metalsamsara.blogspot.com/)

“Nunca fui muito fã do Accept, mas esse disco me fez mudar de ideia!” (Pedro Humangous, Hell Divine - http://helldivine.blogspot.com.br/)

“O Mark se supera a cada álbum!!!” (Kelly Hipólito, vocalista da Blixten - https://www.facebook.com/blixten.official/)

“Quem é Heavy curte Accept. Ponto final.” (Ricardo Batalha, Roadie Crew - http://www.roadiecrew.com/)

“Achei sensacional! Muitas músicas remetem à fase do “Restless and Wild”, mas também mantém a personalidade adquirida com o Mark Tornillo. A Worlds Colliding, por exemplo, se enquadraria fácil no tracklist do “Blood of the Nations”. Na minha humilde opinião, nota 8,0/10,0.” (Ivaldo Abreu, baterista da Lusferus - https://www.facebook.com/Lusferus1/)

“Mantendo-se no topo, soube se reinventar e ainda assim manter a essência do passado. Este quarto trabalho com o Mike Tornillo nos vocais vai agradar aos fãs de boa música!” (Marcos Thrasher, Metal BR - https://www.facebook.com/metalbrofficialpage/)

“Mais um álbum excelente dessa formação que virá para o Brasil novamente. Ótimo trabalho de composição, linhas e edição.” (Plínio Frare, baterista da Warmagedon - https://www.facebook.com/Warmagedom-1672556512997227/)

“Um bom disco, mas inferior aos anteriores com os vocais de Tornillo.” (Gleison Junior, Roadie Metal - https://www.facebook.com/RoadieMetal/)

“Accept sendo Accept, sem modismos, sem experimentações, sem correr riscos, aliás, nem precisa correr, por que é esse tipo de disco que os fãs esperam da banda.” (Fabio Reis, Mundo Metal - https://mundometalblog.blogspot.com.br/)

“Como sempre, principalmente nessa nova fase, excelente!” (C Waldez Fialho, leitor – Marabá/PA)

“Gostei, mais pesado e veloz que o álbum anterior, só que a produção parece ser a mesma de sempre, aí dá a sensação de ‘déjà-vu’.” (Diego Barreto da Silva, vocalista e guitarrista da Attomic Soldier - https://www.facebook.com/attomicsoldier/?pnref=lhc)

“Muito bom, o nível do Accept está cada vez melhor. Até parece que o pessoal da banda tem 18 anos.” (Marcelo Comar Giglio, leitor – São Paulo/SP)

“Achei muito bom e manteve o nível. Uma ou duas músicas do álbum achei meio que inseridas pra fazer número, mas de resto está matador.” (Marcus Larbo, leitor – Rio de Janeiro/RJ)



* A seção InteraBanger do Blog Arte Metal, além de procurar inovar e tirar o veículo de certa rotina, tem o intuito de interagir com o leitor, músicos e especialistas no assunto sobre álbuns polêmicos ou não de bandas já consagradas e relevantes. Outros assuntos relativos às bandas ‘mainstream’ (ou nem tanto) também serão comentados esporadicamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Shinigami Records