quinta-feira, 12 de julho de 2018

Deep Purple – “Live In Graz 1975”


(2016 / 2018 – relançamento – Nacional)

Shinigami Records

Mais um ao vivo da banda que mais lançou discos ao vivo chega ao mercado nacional e nunca é demais ouvir Deep Purple. Aliás, talvez a longevidade dos 50 anos de carreira (uma vida e tanto hein?!) ininterruptos e o sucesso como uma das maiores bandas de Rock de todos os tempos, os façam ter tantos discos ‘live’ assim.

Gravado no ginásio Eisstadion Liebenau, em Graz, na Áustria, o trabalho traz o auge da formação MKIII, com Coverdale no vocal, Glenn Hughes no baixo e vocal, Richie Blackmore na guitarra, Jon Lord nos teclados e Ian Paice na bateria. O CD duplo traz um repertório curto, mas maravilhoso.

Com uma ótima qualidade de som, “Live In Graz 1975” tem produção de Martin Birch com remixagem feita por Martin Pullan, que também masterizou o trabalho. É aquele típico ao vivo do Purple, cheio de improvisações e alongamento das faixas, mas que sempre prende o ouvinte.

A performance da banda é simplesmente sensacional, mostrando Blackmore ainda mais genial do que o normal, é só ouvir Mistreated, que fecha o primeiro CD, e confirmar isso com seu timbre maravilhoso. Claro que os outros músicos não ficam atrás, sendo que este é um dos discos ao vivo mais interessante em termos de execução da banda.

David Coverdale aparece com uma emoção impressionante, enquanto conta com apoio de Glenn Hughes, uma voz não menos fantástica, que aliás é o responsável aqui por ser o porta voz da banda e conversar com a galera (muito louco por sinal, pois quem conhece sabe que Glenn era muito ‘vida loca’).

Claro que composições tradicionais da formação como Burn e Stormbringer são executadas, além da excelente The Gypsy, Lady Double Dealer e You Fool no One. Mas é muito interessante ouvir essa formação executando Smoke On The Water (como ficou bacana o duo Coverdale/Hughes nela) e a destruidora Space Truckin’... Por fim, sim, é mais um ao vivo do Deep Purple, mas muito legal! Vale a pena conferir.


8,5

Vitor Franceschini

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Shinigami Records