quarta-feira, 8 de agosto de 2018

Adrenaline Mob – “We The People”


(2017 – Nacional)

Hellion Records

Pouco mais de um mês após o lançamento mundial de “We The People”, terceiro trabalho do Adrenaline Mob, a banda sofreu um acidente em Gainesville, na Flórida, que vitimou na hora o baixista David Z (David Zablidowsky), que acabara de integrar a banda no mesmo ano, além da tour manager Janet Rains, que morreu um mês após o acidente, depois de cerca de 40 dias internada em estado gravíssimo.

Tal fato obviamente ofuscou o lançamento do trabalho, não poderia ser diferente. Um ano depois, o disco pode ser melhor absorvido e isso mostra o quanto a banda impôs qualidade no álbum, principalmente se pensarmos que perderam peças importantes do ‘dream team’ que compôs o álbum anterior, “Men of Honor” (2014), que contou com A.J. Pero (bateria, Twisted Sister) que também falecera, mas por complicações cardíacas.

Potente e acessível podem ser características que definam bem “We The People”, pois o trabalho mostra ao mesmo tempo peso e ‘grooves’ em doses extras, ao mesmo tempo em que sua produção ‘redonda’ eleva sua acessibilidade, que ainda é adocicada por boas melodias e fortes refrãos.

O trabalho de guitarras de Mike Orlando traduz perfeitamente os tempos modernos no instrumento. Riffs precisos, adotando as linhas de ‘groove’ impostas pela cozinha e ótimos solos que, proporcionais, enriquecem demais as músicas. Tudo aliado a uma cozinha potente, com destaque para a bateria precisa de Jordan Cannata.

Russel Allen (Allen-Lande, Symphony X) mostra um de seus trabalhos mais versáteis, transitando de seu vocal típico a drives que beiram o gutural em diversos momentos, se encaixando perfeitamente à proposta moderna do Adrenaline Mob. Características essas que vinham sendo construídas nos trabalhos anteriores.

Destaque para faixas como King of The Ring, a pegajosa The Killer's Inside, What You're Made Of, Raise 'Em Up (que bateria é essa, senhor Cannara?) e Lords of Thunder que fecha o disco com maestria. O cover para Rebel Yell de Billy Idol é a diversão extra do trabalho, que teve uma produção perfeita a cargo do próprio Orlando, em seu estúdio Orlando’s Sonic Stomp Studio.


8,5

Vitor Franceschini

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Shinigami Records