Programa Arte Extrema 0065

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Resenha de Demos

ORROR – MONSTRO BRASILIS – Material fresquinho na área, aliás, ainda no forno, só esperando pra ser retirado e degustado. “Monstro Brasilis” está disponível somente para a mídia especializada (nosso caso, hehe) ou via reverbnation e myspace. O lançamento físico sairá via Carnificina Records (http://www.carnificina.com/). O trabalho é feito por um do que constitui em Pellizzetti (ex-Bodhum) em parceria com Perazzo (Enterro). O som é um Grindcore sério e feito com muita competência. A produção do trabalho ficou boa, mesmo com toda brutalidade imposta. A cozinha soa infernal com um baixo que estremece o cérebro até mesmo depois que acaba o EP. Os riffs são bem elaborados, bem influenciados pela escola Punk/Hardcore, mas com o peso do Metal extremo, como a escola pede, tendo como linha de frente um vocal cavernoso bem sinistro. São 13 faixas onde se pode escolher qualquer uma de olhos fechados. Vai conferir! http://www.myspace.com/orrorbrasil

LIMBO OF SOULS – HERANÇA DA MALDADE – Mais uma banda de Black Metal que investe na interessante fórmula das bandas nacionais tradicionais do estilo, ou seja, fazer um som extremo, maléfico, cantando em português. As referências são Amen Corner e Miasthenia, sendo que o Limbo Of Souls possui características mais diretas. “Sombrio Trono de Malefícios”, que abre o trabalho, já demonstra essas características, mostrando um som direto que ao final dá uma quebrada quase Doom no ritmo retornando ao normal. A produção é nítida, mas os timbres ainda estão ‘verdes’, o que não impede uma boa avaliação do EP. “Ímpio Hino Das Almas” possui uma levada interessantíssima, com a melodia típica do Black Metal ‘old school’, sendo um dos destaques do trabalho junto com a faixa título, onde os riffs de guitarra são louváveis. Um trabalho que precisa apenas de uma melhor lapidada.  http://www.metal-archives.com/bands/Limbo_of_Souls/123668

MISTRUST – É interessante ver bandas que investem na forma pura e simples do Heavy Metal buscando uma sonoridade própria em um estilo onde isso é praticamente impossível. O Mistrust sabendo disso procura misturar diversas influências dentre elas Iron Maiden, Savatage e até algumas pitadas de Prog Metal. Ouvindo o trabalho atentamente até influências de AOR a banda possui, portanto somente como complemento de seu som. Tudo isso é feito através de uma fórmula que não possui nada de exagero ou egocentrismo. Tudo soa equilibrado e sem firulas, desde os vocais (agradabilíssimos, por sinal) até o instrumental muito bem executado e sem excesso de técnica. São 3 composições de extremo bom gosto e muito, mas muito agradáveis. http://www.facebook.com/officialmistrust?sk=info

DROWNING NEGATIVISM - LOST IN A COLD AND DARK DIMENSION – One man band de Depressive Black Metal que bebe na fonte de nomes como Burzum, Anciente (antigo) e tudo mais que possui traços de insanidade e depressão profunda. O som transmite angústia suprema, melancolia e um clima/sentimento completamente denso. As guitarras soam cortantes, bateria seca e gritos agonizantes nos vocais. Se você tem tendências suicidas, passe longe disso. http://www.metal-archives.com/bands/Drowning_Negativism/3540339049

PISCOMORTIS – DEMONIZER I – E temos hermanos investindo em Metal extremo mais uma vez. A única coisa incomum aqui é o fato de eles cantarem em inglês, já que as maiorias das bandas argentinas preferem cantar na língua pátria. O som é uma mistura que vai desde o Thrash, passando pelo Death, até o Black Metal, com influências totalmente ‘old school’. O som é cru, brutal e direto. A faixa “Rusten” deixará fãs do velho Black Metal em êxtase, já que possui uma áurea de guerra, com ritmo marchante e peso ímpar. Outro destaque é “Bloodbreeding Deathmachine” que possui riffs metralhados e variação rítmica interessante. Melhorando a produção, onde alguns instrumentos às vezes encobrem o resto, tudo se encaminhará bem.  http://www.myspace.com/psicomortis

MASSACRE – SCREAM FOR YOUR LIFE – Não tem como não sacar, ao ouvir este trabalho, que se trata de uma formação das antigas. O Massacre é de 1980 (isso mesmo!!!) e faz um Thrash/Death Metal de primeira categoria. A banda já havia lançado três trabalhos anteriores em formato demo, são eles “Donzela Maldita” (1986), “HBFAM” (2008) e “Promo 2009”. Agora, os Thrashers de Limeira/SP, soltam este “Scream For Your Life” que emana maturidade e bom gosto. O trabalho abre com “Like A Dreams Come True” que de cara é uma pancadaria só, já demonstrando ótimo trabalho de guitarras, com riffs e solos muito bem encaixados, além da bateria que dita um ritmo bem variado e encaixa muito bem os pedais duplos. “Scream” mantém a chama acesa e possui uma interpretação vocal nervosa, bem na linha do Ventor (Kreator), além de possuir ótimos solos de guitarra. “Curse The Gods” (que não é a do Destruction) honra o Thrash Metal com riffs sujos e uma levada bem cativante e brutal. “Ripper” possui os riffs mais sujos que eu já vi no Thrash Metal e possui uma cozinha intensamente vibrante. Vale a pena conferir, puta som! http://www.myspace.com/massacre6

POLARIS – POLARIS – Formada por Matheus "Menter" Graef (vocal/guitarra), Murilo Guarnieri (guitarra), Henrique "Eno" Melo (baixo) e Nicholas "Nicko" Gialluca (bateria), a banda Polaris faz um som não muito explorado ultimamente. O foco é o Thrash/Speed Metal, mas nada como vem acontecendo com o retro-Thrash. A coisa aqui passa por diversas influências, incluindo a NWOBHM. “Cold Blood Justice”, por exemplo, possui esse tipo de influência e ainda um ‘quê’ de Nuclear Assault nas guitarras. “The Viper” é total Megadeth, guardado suas devidas proporções, e com características próprias da banda, como o refrão em coro. “Thrashing Beast Of Metal” já demonstra sua cara no próprio nome e possui um ritmo interessante e uma pegada mais oitentista. A ressalva fica por conta da produção que não ficou ruim, mas oscila entre as composições, mas o resultado final é muito satisfatório. http://polarismetal.com.br/

MURDER – LET’S FUCK AND DRINK – Os menos desavisados acharão que se trata de uma versão Thrash Metal das Velhas Virgens, porém... é quase isso. O Murder investe no estilo citado com pitadas de Death Metal, passando até pelo Crossover e, numa boa ouvida, o Grindcore. Tudo isso regado a muito álcool, putaria e problemas políticos e sociais. Os caras sabem muito bem o que fazem, tanto que o trabalho de guitarras impressiona com riffs de muito bom gosto despejados a esmo, cozinha brutal e um vocal bem característico. Meus destaques são sem dúvidas “Hail The Ordes” pelo feeling ‘old school’ e o belo refrão, e a faixa título pela levada interessantíssima e, principalmente, o final apoteótico. www.myspace.com/murderhdc

PERFECT ONE – REDEMPTION – Acredito que, assim como no Death Metal, as bandas brasileiras de Metalcore possui um diferencial perante às bandas gringas, e neste caso não basta o ritmo, mas sim o peso que as bandas do estilo emanam. No caso dos goianos do Perfect One, essa característica impõe peso e um ar maléfico em suas músicas o que poderá agradar até os conservadores do estilo. A banda bebe na fonte de nomes que vão desde Cannibal Corpse a Lamb Of God. Brutalidade impera neste trabalho, que possui uma boa produção e quatro composições (mais uma intro) de muito bom gosto. Meu destaque vai para “Life Without More Lies” que traduz exatamente o descrito nas linhas anteriores. O som possui desde bateria com blast beats, passando por riffs pesadíssimos e vocais que alternam o mais puro gutural com momentos limpos. Muito bom o trabalho. http://www.myspace.com/perfectonemetal

NUCLEAR DECIMATION – HEADBANGERS ATTACK – O Nuclear Decimation investe na escola do Thrash Metal ‘old school’ e este é o seu segundo trabalho. A banda bebe em fontes como Destruction e Exodus, mas possui aquele feeling de bandas nacionais como Taurus. O som é veloz e sem frescuras. Os riffs são muito bem executados, a bateria é rápida e muito bem acompanhada pelo baixo pesado e vibrante. Os vocais lembram muito o Schmier no início de carreira. Das três composições, “Sex, Metal e Beer!’ é o destaque, com seus bons riffs e solos, além de celebrar toda a temática que envolve o estilo. Depois deste trabalho a banda lançou um split com a banda de Thrash/Speed Metal, Metallic Crucifixion. Vale a pena conferir. http://www.myspace.com/metalliccrucifixion

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vitter

VITER - official site