terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Entrevista



Em 2011 quando lançou o EP “The Wartrail”, os cariocas da Hatefulmurder abalaram o undergroundo com seu Death/Thrash Metal atual e agressivo. Agora, após 5 anos de fundação a banda finalmente soltou seu primeiro álbum, intitulado “No Peace” que saiu pela tradicional Cogumelo Records. Conversamos com Felipe Lameira (vocal) e Felipe Modesto (baixo) que, ao lado de Renan Ribeiro (guitarra) e Thomás Martinoia (bateria) buscam alçar vôos ainda mais altos.

Os trabalhos que antecederam “No Peace”, principalmente o EP “The Wartrail” (2011) demonstravam extrema qualidade mesmo antes de a banda ter um álbum oficial. Isso aumentou a responsabilidade na hora de compor o debut?
Felipe Lameira: Sim, com certeza. Tivemos uma reposta muito positiva com o “The Watrail” e depois dele todos se perguntavam quando sairia o nosso debut. Isso criou uma expectativa quanto ao álbum e fez com que nos debruçássemos sobre as composições, a fim de tirar o melhor de nós naquele momento. Trabalhamos muito para que o resultado final mostrasse o quanto à banda cresceu. Temos a sensação de missão cumprida quanto a isso.

E vocês procuraram adicionar novos elementos em sua sonoridade ou apenas mantiveram a essência e lapidaram seu som?
Felipe Lameira: Sempre procuramos adicionar algo novo ao nosso som, mas mantendo uma linha comprometida com o que já fizemos. Não nos limitamos a fórmulas fechadas ou “certo e errado”. Acredito que o rotulo de “Thrash/Death Metal” ajuda a orientar as pessoas quanto ao direcionamento do nosso som, mas existem muito mais elementos que usamos dentro também. Se fizermos algo e todos da banda se sentirem empolgados e à vontade, então é o que devemos fazer. 

É notório o amadurecimento da banda no debut. No que isso pôde contribuir para o resultado final de “No Peace”?
Felipe Modesto: Trouxemos a experiência já adquirida no processo dos outros trabalhos e já sabíamos que algumas coisas funcionavam bem e outras não. Mesmo assim, pudemos experimentar coisas novas que deram um resultado bem característico ao "No Peace".

Nota-se que o Hatefulmurder sempre primou por buscar uma sonoridade própria, mesmo demonstrando facetas dentro do Thrash e do Death Metal. Isso é intencional ou flui naturalmente?
Felipe Modesto: Um pouco dos dois. A sonoridade veio naturalmente a partir de influências e jeito de compor. É intencional porque tentamos não fugir muito dessa linha, mas sem deixar forçado.


O trabalho de guitarras mostra influências tanto ‘old school’ quanto mais atuais. O que podem falar a respeito?
Felipe Lameira: Você não é o primeiro a perceber isso. Com certeza isso é fruto de varias influências de todos, não só do nosso guitarrista Renan Campos. Todos nós escutamos e gostamos de sons mais “old” ou clássicos e também de coisas bem “modernas”. Conseguir cruzar essas referências acabou se tornando algo bem natural na nossa forma de escrever músicas. Gostamos realmente de fazer isso. 

Apesar de fazerem Metal extremo, modernidade é a palavra certa para descrever o som do Hatefulmurder, tanto na execução quanto na produção. Na hora de compor vocês procuram fugir de algumas tendências que muitas vezes são confundidas com essa modernidade?
Felipe Lameira: Não é algo realmente que preocupe a gente. Gostamos de ser uma banda do “nosso tempo, fazendo som do nosso tempo”. Existem muitos modismos envolvidos no gênero que sempre vem e vão, mas isso não nos incomoda. Como falei antes gostamos de caminhar nessa linha entre o mais “old” e o “moderno”, mas gostamos de fazer isso com naturalidade. Para nós com certeza não existem barreiras ou dogmas de “certo ou errado” na hora de compor.
Felipe Modesto: A hora de compor é quando a gente pode experimentar coisas novas, coisas que notamos que dão certo e que poderiam se encaixar no som.



Aliás, como foi trabalhar com Fabiano Penna na produção de “No Peace”?
Felipe Modesto: O Penna agregou muito ao resultado final. Trabalhar com ele foi fantástico. Toda a bagagem que ele tem foi útil no processo de gravação e ele soube conduzir a coisa muito bem.
Felipe Lameira: Aprendemos muito trabalhando com o Penna. Ele é um excelente produtor e sabe muito do que faz. Foi realmente algo que nos acrescentou como banda.

“No Peace” foi lançado pela Cogumelo Records, selo responsável por lançar clássicos de bandas como Sepultura, Sarcófago, Ratos de Porão. Como é ter o primeiro full-lenght lançado por eles?
Felipe Lameira: Sempre foi nosso objetivo lançar o debut por uma gravadora de nome, que assinasse em baixo atestando a qualidade do nosso trabalho. Depois de conversamos e mostramos do que éramos capazes de fazer, principalmente ao vivo, fechamos o lançamento. Para nós, poder fazer parte dessa história, é algo que não tem preço.
Felipe Modesto: É muito gratificante fazer parte desse time. Além desses clássicos mencionados, atualmente existem outras bandas lançando coisas de muita qualidade.

Como está a repercussão e divulgação do novo trabalho? Além do Brasil, ele tem se destacado no exterior?
Felipe Lameira: A repercussão tem sido a melhor possível. Por enquanto o álbum foi lançado somente no Brasil. Mas, graças às plataformas digitais de distribuição, o público de outros países já tem acesso a ele. Tivemos muitos retornos positivos sobre o trabalho e a qualidade dele. Podemos perceber também o quanto o público estrangeiro respeita as bandas brasileiras. Mas com certeza isso ficará mais evidente em breve, com o lançamento no exterior. 
Felipe Modesto: O disco sairá nos EUA agora em Dezembro e será lançado na Europa também. Sempre ouvimos muitos elogios sobre esse trabalho, com certeza algo bem gratificante para nós.

E os planos para este resto de ano e 2015?
Felipe Lameira: São muitos. O principal será continuar a divulgação do debut, fazendo muitos shows, e nos preparar para o próximo álbum. 2015 será um ótimo ano para o Hatefulmurder.   
Felipe Modesto: Queremos trazer muitas novidades pros fãs. Continuar a divulgação do disco fazendo turnês.

Muito obrigado. Deixem uma mensagem.
Felipe Lameira: Gostaria de agradecer ao Arte Metal pelo espaço e desejar muito sucesso a vocês! Um grande abraço a todos nosso amigos e fãs. Esperamos encontrar vocês na estrada! STAY HATEFUL!
Felipe Modesto: Valeu Arte Metal! Até a próxima!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Shinigami Records