terça-feira, 29 de setembro de 2015

Serrabulho – “Star Whores” – 2015 - Rotten Roll Rex (Importado)

Se não tem bom humor pode pular essa resenha. Afinal, apesar de fazer um Death/Grind sério e brutal, o Serrabulho se utiliza de temáticas extremamente sacanas e pornogore. É como se fossem os Mamonas Assassinas do Metal extremo (tanto que os caras mencionam o falecido grupo de Guarulhos como influência, pode acreditar), pois os caras até se caracterizam.

“Star Whores” (que belo título) parodia em termos líricos contos infantis, blockbusters da década de 80 e tudo o que puderem ‘chacotear’. Mas, o que impressiona mesmo é capacidade criativa da banda de conseguir soar pesada e mesclar isso com passagens engraçadas, tornando o som curioso e empolgante demais.

E os caras mostram técnica com riffs interessantes e bem elaborados (aliás, o timbre da guitarra de Paulo Ventura é de tirar o chapéu). Mas o destaque é a cozinha com o baixo de Guilhermino Martins pesando seriamente e o baterista Ivan Saraiva se mostrando um monstro da precisão.

Um show à parte, os vocais de Guerra mostram uma versatilidade impressionante passando pelo gutural, pig squeal, grunhidos e rasgados. Aliás, o frontman ainda conta com apoio de coros bem engraçados que parecem retirados de filmes infantis (ou adultos?).

Por fim, o disco ainda conta com uma produção de ponta que dá mais qualidade ainda às músicas que possuem uma boa variação de andamentos. Destaque para Pornocchio, Testicular Torsion e Vaseline. Lembrando que há participação especial do Bento (da banda brasileira Os Capial) na singela faixa Caguei na Betoneira. Você pode procurar por bandas pesadas e engraçadas, semelhantes até, mas igual ao Serrabulho será difícil achar.


8,5

Vitor Franceschini


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Shinigami Records