quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

InteraBanger: Yngwie Malmsteen



A seção InteraBanger do Blog Arte Metal, além de procurar inovar e tirar o veículo de certa rotina, tem o intuito de interagir com o leitor, músicos e especialistas no assunto sobre álbuns polêmicos ou não de bandas já consagradas e relevantes. Outros assuntos relativos às bandas ‘mainstream’ também serão comentados esporadicamente.

O marrento guitarrista Yngwie Malmsteen é um dos maiores na história do instrumento, não há dúvidas. Mas, há tempos o sueco não emplaca um disco de qualidade. Talvez nos anos 2000 isso não tenha acontecido e pelo jeito, se depender da galera, seu mais novo álbum, “World On Fire”, não mudará essa época de vacas magras.

“Não curti cara, caralho, que disco caído meu velho, puta merda, saudades do Malmsteen ainda criativo no Magnum Opus (1995), por exemplo.” (Augusto Junior, Portal do Inferno - http://www.portaldoinferno.com.br/)

“Yngwie Malmsteen merece respeito, é um grande músico do Metal! Mesmo quem não goste deveria dar respeito a um músico que batalha até hoje! Acho mais legal as músicas sem vocalista, tipo Sorcery. O álbum tá massa.” (Gilson Arruda, Imperative Music - https://www.imperative-music.com/)

“Não curti não. Tudo que ele fez desde o “Inspiration” (1996) para o frente é simplesmente uma porcaria.” (Matias Francino Nominato, guitarrista - https://www.facebook.com/francinominato/?fref=ts)

“Ouvi pouca coisa, não está em sua boa fase e performance, mas merece respeito pelos anos de carreira.” (Leandro Fernandes, colaborador)



“Ouvi e achei uma bosta! Um dos piores, se não o pior já lançado por ele!” (Guilherme Maziero, leitor – Descalvado/SP)

“Eu achei razoável, vejo o pessoal massacrando os últimos álbuns dele, mas eu não acho tão ruins assim. É legal até, escutei algumas vezes, não me emociona, mas também não me incomoda.” (Luis Evandro Cavalheiro Moreira, leitor – São Gabriel/RS)4

“Acabei ouvindo uns sons no YouTube, massa pra caramba, sempre Metal sem tirar o pé do acelerador, se bem que o Malmsteen sempre foi meu guitarrista favorito. Que me desculpem Vai e Satriani (risos).” (Zam Ferretti, leitor – Leme/SP)

“Bom álbum! Comparar com os clássicos seria covardia, mas é um bom trabalho, sem dúvida.” (Paulo Doc, baixista da Lacerated and Carbonized www.laceratedandcarbonized.com/)

“Gostei, firme, porém tentando inovar sem deixar de ser clássico. Isso demonstra uma certa insegurança.” (Wendell Pivetta, Metal Etílico - https://www.facebook.com/metaletilico/?ref=bookmarks)

“Um dos maiores guitarristas de todos os tempos e que merece todo o nosso respeito. Ponto. Agora, o disco é repetitivo, com músicas fracas e uma produção mediana, pra não dizer outra coisa. Será pouco - ou nada - lembrado dentro da extensa discografia do Malmsteen. Ou seja, nada muito diferente dos últimos lançamentos do cara.” (Paulo Pontes, jornalista – Valinhos/SP)

“Ouvi o disco, em termos de execução, timbres de guitarra, composição na parte instrumental é isso mesmo que o cara é, muito melhor que o álbum anterior que fiquei decepcionado. Agora esse lance de cantar não dá. Mas a musicalidade dele é incrível, quando quer ser incrível, quando quer fazer melodias bonitas como em Nacht Musik. Ele não tem que provar nada a mais ninguém, é revolucionário e mudou toda uma forma de enxergar o instrumento. Claro que não gostei de todas a músicas, mas eu que sou fã e ouço sempre estou feliz com o trabalho, em termos de produção acho que ele nem se preocupa com isso mais, faz o que quiser. Claro que poderia e tem poder pra fazer muito mais foda. Mas é isso aí, gostei do álbum.” (Fabrício Pereira, guitarrista Dysnomia -  https://www.facebook.com/dysnomiabr/?fref=ts)

“Quando ouvi a voz dele na primeira música desisti do resto.” (André Toral, leitor – Barra Mansa/RJ)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Shinigami Records