sexta-feira, 30 de novembro de 2018

InteraBanger: Soulfly




Max Cavalera pode ser tudo, menos um acomodado dentro da música. O maior ícone do Metal brasileiro, tanto com o Cavalera Conspiracy, quanto com o Soulfly, vem produzindo muito ultimamente, tanto que no ano passado lançou “Psychosis”, quarto disco do CC ao lado de seu irmão Iggor, e este ano traz este “Ritual”, que é o décimo disco de estúdio do Soulfly. Com a capa mais bonita da discografia e uma das mais belas do ano no cenário metálico mundial, o disco parece ter agradado até os mais radicais. É só conferir nas opiniões abaixo.

“Uma patada na fuça!!!” (Gleison Junior, Roadie Metal - https://www.facebook.com/RoadieMetal/)

“Excelente play, o Max vem mantendo um bom senso e certa regularidade em seus lançamentos pós “Dark Ages” (2005).” (Jeferson Alves, leitor – Ponta Grossa/PR)

“Um ótimo disco, mais agressivo que o de costume, mas menos experimental.” (Marcos Garcia, Heavy Metal Thunder - https://www.facebook.com/heavymetalthunderbr/)

“Discaço, um dos melhores do ano.” (Patric Belchior Resende, Apple Sin - https://www.facebook.com/bandaapplesin/)

“Eu gostei do disco! Eu sempre achei que o Soulfly lança discos com músicas bem legais e outras bem, digamos, chatas (risos). Gosto muito do “Prophecy” (2004) e do “Enslaved” (2012), músicas aleatórias dos outros discos. Até o lançamento dos discos que mencionei, nunca consegui ouvir um disco inteiro do Soulfly sem pular faixas, ou me irritar com as letras 'qualquer nota' que o Max vinha repetindo e com o excesso de pirulitagem do guitarrista Marc Rizzo. Mas parece que o mendigão acertou em cheio nesse disco - e no último do Cavalera Conspiracy também. Só queria saber agora se o começo de Dead Behind The Eyes foi um auto plágio inconsciente ou se foi um tributo à From The Past Comes The Storms mesmo (risos).” (Vitor Caricati, Overthrash - https://www.facebook.com/bandaoverthrash/)



“Bem agressivo! Acho que é mais a cara do Max este tipo de som, do que muitos experimentos com lance tribal!” (Joel Silva, leitor – São Paulo/SP)

“Bom, Soulfly não é muito minha praia mas com uma capa dessas quem resiste não dá uma escutada? Me surpreendi, músicas muito boas uma mistura de antigo com novo e umas pitadas de Death Metal aqui e ali.” (Nilton Tavares Filho, leitor – Porto Ferreira/SP)

“Max é um ícone riffmaster workaholic do Metal. Esse álbum mostra um som mais direto com uma volta ao que ele fazia antes: riffs diretos e certeiros, solos bem encaixados, Zyon evoluiu absurdo e os refrãos característicos de Max, sempre marcantes. Ainda lembrando de comentar a arte maravilhosa. Melhor álbum que os dois anteriores sem sombra de dúvidas. Vovô não decepciona!!!” (Roque, Disorder of Rage - https://www.facebook.com/disorderofrage/)

“Max Cavalera não decepciona. Apesar de todos os seus projetos paralelos e sua longa carreira, sempre nos presenteia com bons discos. É claro que os clássicos foram no tempo do Sepultura, mas acredito que ele ainda tem muita bala na agulha. O cara é mestre e isso ninguém pode negar. “Ritual” e também o “Psychosis” (Cavalera Conspiracy, 2017)) são a prova disso. Só a opinião de um fã. Valeu!!!” (João Antônio, leitor – São Leopoldo/RS)

“Cara achei muito foda!! Tem uma pegada tribal, me lembrou muito o "Roots" (Sepultura, 1996), animal mesmo.” (Antony Damien, Burnkill - https://www.facebook.com/burnkillofficial)

“Um álbum forte!! Com canções fortes, agressivas!!! Melhor que o álbum anterior, na minha opinião!!! Mais rápidas e mais com cara de Thrash!!!” (Robson Batista da Silva, leitor – Bueno Brandão/MG)

“Excelente!!! Fudido!!! O Soulfly evoluiu muito!!!” (Tiago Pollin, leitor – Leme/SP)

“Simplesmente foda.” (Awylis Oliveira, leitor – São Paulo/SP)

“A Participação de Ross Dolan do Immolation na faixa Rapture ficou matadora...” (Renato Costa Silva, leitor – São Paulo/SP)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Shinigami Records