segunda-feira, 5 de junho de 2017

Imperative Music Compilation – “Volume XIII”

(2017 – Nacional)

Imperative Music Promotion

O tempo passa, voa e as mudanças (ou evolução) aparecem. Isso não é diferente na música, que não só evolui com as tecnologias, mas também estruturalmente e na forma em que é negociada, entre outros quesitos.

No meio metálico sempre houve coletâneas que divulgam bandas do mundo todo, às vezes de uma região, outras de um estado e/ou país, cidade, enfim, sempre em diversos formatos. E, o negócio é se adaptar, afinal, hoje são diversos tipos de mídias e veículos de comunicação onde as bandas se inserem.

E a Imperative Music Promotion tratou de inovar no seu 13º volume, trazendo a coletânea tanto em áudio, como em vídeo, o que é mais atrativo aos fãs da boa música, principalmente os mais jovens, que vivem a era digital intensamente e sempre gostam de acompanhar o som com imagens.

São 32 bandas onde somente o continente africano não tem nenhum representante e todas dos mais variados estilos. Como a coletânea sempre contou com grandes medalhões, quem representa o escalão aqui talvez seja o icônico Venom e o brasileiro Vulcano, duas bandas pioneiras em suas funções.

Das bandas brasileiras os destaques ficam por conta do Hardstuff e seu Hard Rock gravado ao vivo, com uma filmagem simples, mas bem bacana e profissional, o Dying Suffocatio e seu Death/Doom bem característico com lyric video, o Sex Psych Love e seu Hard/Gothic/Pós-Punk de primeira linha e um ótimo clipe, além do Maverick e seu Thrash Metal atual.

Entre as gringas, o My Own Ghost traz uma sonoridade bem bacana e um clipe que segue a qualidade, O Elysian Gates com seu Metal sinfônico bem estruturado – detalhe que ambas as bandas são de Luxemburgo – e um clipe (da primeira) muito bem feito. Além dessas, o Dark Desolation da inusitada Índia e seu Black Metal insano, os italianos do The Wild Child e seu Heavy tradicional, os belgas do Enchantress e os franceses do Hot Hell Room se destacam também.

Não há uma banda sequer com uma produção abaixo da média e nenhum sinal de amadorismo, o que mantém um equilíbrio acima da média para a nova coletânea da Imperative Music. Tais fatores fazem com que a coletânea, que é distribuída no mundo todo, mereça ser conferida.


8,5


Vitor Franceschini

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Shinigami Records