quarta-feira, 14 de junho de 2017

Stranhos Azuis – “Stranhos Azuis”



(2017 – Nacional)
                      
Independente

O Rock, por mais que os leigos (e radicais) se neguem, é um estilo aberto a experimentos e intervenções de outros gêneros. Isto faz com que o estilo possa se mesclar com qualquer outro tipo de música, o que não é exclusividade do Rock, afinal, bons músicos podem fazer isso com qualquer gênero.

Neste seu debut, os são-carlenses do Stranhos Azuis são um bom exemplo disso. A princípio, a banda parece fazer um Classic/Hard Rock comum, mas é só ouvir com atenção o disco e verá (ouvirá) que se trata de algo mais abrangente e que bebe em diversas fontes.

A primeira delas é com o Rock Nacional (sim, aquele mais acessível surgido na década de 80), que fica evidente na faixa de abertura Acorda Pra Vida, que já chega mostrando-se um hit e a boa coesão da banda. Logo em seguida, em Senhor da Razão, um sensacional flerte com música oriental e brasileira se faz presente no ritmo da canção, mostrando a ousadia do trio.

No decorrer do disco ainda poderás ouvir flertes com Country em Bagagem de Mão, o Hard Rock em sua melhor forma na Oh Ana Rebordosa, o Rockão quase Metal em Colarinho Branco e, por fim, Cara Comum, a faixa mais versátil do disco e que mostra a assinatura da banda.

Com letras cotidianas, que versam o amor de diversas formas, problemas sócio-políticos comuns e a vida Rock and Roll, a banda consegue agradar neste debut que demorou 11 anos pra ser assado – tempo este que valeu à pena esperar, diga se de passagem. A produção a cargo do baterista Luciano Matuck só aumenta a qualidade do disco, assim como a belíssima arte da capa. Por fim, um disco que merece atenção do cenário ‘rocker’ brasileiro. Completam o time: Danilo Zanite (guitarra/vocal) e Daniel Dellelo (baixo).


9,0

Vitor Franceschini

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Shinigami Records