sexta-feira, 12 de outubro de 2018

Pantanum: Banda fala sobre apresentação no Abraxas Fest Rio de Janeiro




Por Erick Tedesco

Pantanum, de Curitiba, executa desde 2014 um denso Stoner Doom psicodélico com sonoridade única na cena nacional. É uma das bandas que se apresentam neste domingo, 14, no Abraxas Fest - edição Rio de Janeiro, o Fest de 5 anos da Abraxas como produtora e selo. O último registro do Pantanum é o compacto “Purple Blaze”, que foi lançado em vinil de 7" pela Abraxas, em parceria com a Zoom Discos e a Ride Ancient Wave Records, em 2017. O primeiro álbum, Volume 1, saiu em 2015 com excelente repercussão junto à mídia especializada e público. O Pantanum atualmente é formado por Francisco Gusso (vocal/baixo), Bruno Silvério  (bateria/vocal) e Alexandre Stresser (guitarra/vocal). Confira a entrevista exclusiva com a banda.

O Pantanum é, assim como as demais nacionais escaladas pro Abraxas Fest, perfeita para abrir pro Eyehategod e Samsara Blues Experiment. Estas duas bandas gringas são influências o que fazem, ou em algum momento já serviu de referência?
Francisco Gusso: Com certeza! Quando a gente era adolescente há uns 15 anos atrás, a gente já pirava forte no Eyehategod, Iron Monkey, Bongzilla etc. Lembro que na época eu (Francisco) e o Bruno montamos uma banda pra tocar uns Sludge inspirado em Eyehategod e Sleep, isso lá por 2002. Na época a banda não vingou, mas a gente já curtia os caras desde cedo. Anos depois a gente veio a conhecer o Samsara e a parada simplesmente explodiu nossa cabeça. Na época eu andava meio afastado do Metal e o Samsara foi uma das bandas que me fez voltar a tocar e consequentemente foi uma das bandas que nos influenciaram a montar o Pantanum em 2014. Ano passado viajamos até Florianópolis pra ver o show dos caras e foi muito foda. Lembro de comentar durante o show sobre como eu gostaria de tocar com eles, e agora, um ano depois cá estamos nós abrindo pra eles no Abraxas Fest junto com o Eyehategod. Doidera total! 

Existe no Pantanum um trabalho bem marcante de percussão, que consegue imprimir diversas sonoridades, de distintas épocas, e mais o efeito fuzz aqui e ali. Enfim, quando entendem que é preciso puxar o freio de mão e não cair na tentação da jam psicodélica e pesada sem limites?
Francisco: Esse entendimento veio com a experiência de tocar ao vivo com passar dos anos. Durante os shows preferimos nos ater ao nosso repertório que está nos discos, porque às vezes as jams podem não sair exatamente como você deseja e outras vezes o público pode não estar afim de ficar vendo você fritar em improvisações infinitas. Mas durante os ensaios é difícil de segurar a mão. Geralmente a gente vai longe mesmo... Já teve vez que ficamos improvisando durante mais de 6h sem parar!

O que o Pantanum transmite por meio da música que faz? Para quem nunca viu ao vivo, o que podem esperar no Abraxas Fest do dia 14/10 no Rio?
Francisco: O nosso compromisso é 100% com o som que a gente faz, independentemente de estilo, visual ou gênero musical. O que a gente quer passar é essa sensação de espontaneidade e energia transcendental da música, embalada numa roupagem mais voltada pro Doom e essa estética meio obscura do Metal, que é o que a gente mais curte. Pra quem nunca nos viu tocar ao vivo pode esperar um show enérgico e muito feeling pra balançar a cabeça.

Quando sai o sucessor do single “Purple Blaze”, lançado pela Abraxas Records em parceria com outros selos em 2017? E como vai soar?
Francisco: Estamos trabalhando nisso. Já entramos no estúdio algumas vezes pra gravar algumas linhas de bateria e terminar de compor as músicas novas. Até o fim do ano esperamos estar com todo material gravado. Vão ser 6 músicas inéditas que mostram o amadurecimento da banda e uma guinada para um som mais autoral e autentico, inspirado em novas referências. Outra novidade é que estamos trabalhando com letras em português, que é um desafio e tanto visto que são pouquíssimas as bandas do gênero que conseguem trabalhar com a nossa língua natal. É uma tentativa de criar algo mais autenticamente nosso, esteticamente brasileiro saca? Dentro da cena Stoner/Doom. O novo material está ficando muito bom e estamos empolgados e procurando novos parceiros para nos ajudar no próximo lançamento.


SERVIÇO
Abraxas Fest no Rio de Janeiro
Data: 14 de outubro de 2018
Horário: a partir das 18 horas
Bandas: Eyehategod, Samsara Blues Experiment, Pantanum, Jupiterian
Local: Cais da Imperatriz Endereço: Rua Sacadura Cabral, 145 – Centro/RJ
Ingresso: R$ 100 (primeiro lote antecipado)


Venda física (sem taxa de conveniência): Rocksession (Rua Conde de Bonfim, 80, loja 3 – subsolo – Tijuca) – 3168-4934 Tropicália Discos (Praça Olavo Bilac, 28 – Sala 207 – Centro) – 2224-9215 Hocus Pocus DNA (Rua 19 de fevereiro, 186 – Botafogo) – 3452-3377 Inside Rock (Avenida Amaro Cavalcanti, 157 – Méier) – 3985-8040 Sempre Música Catete (Rua Corrêa Dutra, 99; sobreloja 216 – Catete) – 2265-6910

Na hora: R$ 120

Censura: 16 anos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Shinigami Records