terça-feira, 13 de novembro de 2018

FB1964 – “Störtebreker”


(2017 – Nacional)

Hellion Records

Muito legal esse projeto que, infelizmente ainda não é de grande conhecimento do público brasileiro (incluindo este que vos escreve), que é capitaneado pelo guitarrista alemão Frank ''Heino'' Badenhop. Ao seu lado, neste trabalho, os músicos permanentes são Mirko Gätje (baixo) e Michael Wolpers (bateria, Victory, Running Wild).

Este é o segundo trabalho e pode ser considerado uma Opera Metal, já que traz nosso tão apreciado Metal na parte musical e liricamente aborda uma história, na ocasião, a história do corsário Klaus Störtebeker, um dos mais famosos piratas teutônicos, que viveu entre os anos 1300 e 1400.

O disco conta, nada mais nada menos, que com as participações de músicos como: Bobby “Blitz” Ellsworth (Overkill), David DeFeis (Virgin Steele), John Gallagher (Raven), Chris Boltendahl (Grave Digger), Udo Dirkschneider (ex-Accept), Gerre Jeremia (Tankard), Henning Basse (Firewind) e Ronnie Romero (Rainbow); os guitarristas Gary Holt (Slayer, Exodus), Jeff Loomis (Nevermore, Arch Enemy), Nita Strauss (Alice Cooper), John Norum (Europe), Axel Rudi Pell, David T. Chastain (Chastain) e Victor Smolski (Rage).

Musicalmente o trabalho é calcado no Heavy Metal tradicional germânico, com referências diretas em nomes como Accept e Grave Digger. Se utilizando de ritmos não tão velozes e arranjos enriquecidos com instrumentos acústicos e violino, a música soa boa aos ouvidos e se utiliza de uma melodia bem dosada.

A banda mostra um disco dinâmico e interessante de ouvir. Após uma longa intro, Restless and Wild, tendo Bobby “Blitz” Ellsworth como protagonista, é a primeira a chamar atenção. Com uma levada interessante, pesada e semi cadenciada, a música serve pra introduzir o ouvinte à história com um forte refrão e a interpretação ‘raçuda’, típica de Bobby.

Outro destaque é Gotland, mais complexa e com arranjos mais pomposos, traz Becky Gaber (Exotoxis, Psychophobia), David DeFeis, Katie Jacoby no violino e os guitarristas Ivan "Miha" Mihaljević (Hard Time) e Victor Smolski. A música tem um ritmo pendendo pro Folk e teclados mais intensos.

A balada Mortal Symphony com o chileno Ronnie Romero (vocal) – que vem se apresentando com o Rainbow ao vivo – é a primeira ‘acessivel’ a chamar atenção e seu clima épico é belíssimo. Falando em épico, Remember The Fallen com Chris Boltendahl a frente, além de Jeff Loomis e David T. Chastain, e também os guitarristas Brian Maillard (Dominici, Solid Vision) e Dethy Borchardt solando, é uma obra prima de onze minutos e Metal em sua essência. Nem parece que tem tal tempo.

Por fim, o último destaque é When The Last Bell Dies, que traz Udo Dirkschneider com uma performance versátil, já que a faixa soa um tanto quanto Doom e sombria. A música ainda traz os guitarristas Yiannis Papadopoulos e Andreas Kowalzik. É bom ressaltar que essas composições são as que chamam atenção, mas não ficam muito acima do restante do ‘tracklist’.

A versão nacional ainda traz um encarte, que é um livreto na verdade, com 32 páginas com as letras contando a história, além de todas as informações de cada músico participante do trabalho, as informações técnicas e tudo o mais. Música e conceitos que com certeza atrairão o público brasileiro.


8,5

Vitor Franceschini

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Shinigami Records