segunda-feira, 13 de janeiro de 2020

Opeth – “In Cauda Venenum”


(2019 – Nacional)

Nuclear Blast / Shinigami Records

O Opeth vem desde seu décimo disco, “Heritage” (2011), trazendo sua sonoridade focada no Prog Rock clássico e desde então se distanciando cada vez mais do Death Metal que faz parte de suas raízes. “In Cauda Venenum” aumenta ainda mais essa distância.

O novo trabalho parece dar continuidade ao seu antecessor, “Sorceress” (2016). No entanto, é bom interpretar bem a palavra ‘continuidade’, afinal, não quer dizer que se trata da mesma fórmula e sim da evolução desta fórmula apresentada no disco anterior.

É exatamente isso. Apesar da suavidade de suas composições, do aspecto progressivo e burocrático em alguns momentos, o Opeth ganha pontos por ainda navegar em mares mais pesados e vigoroso, o que dá margem para os apreciadores das antigas ainda tentar digerir o som da banda.

Não falta pretensão, mas é inegável que Mikael Åkerfeldt (vocal/guitarra), Fredrik Åkesson (guitarra), Martín Méndez (baixo), Martin Axenrot (bateria) e Joakim Svalberg (teclados) atingem seu objetivo e conseguem nos mostrar uma música sofisticada na medida certa.

O ponto chave de “In Cauda Venenum”, ou seja, o seu grande diferencial, é que o disco conta com o melhor trabalho de orquestração que o Opeth já aderiu, aqui a cargo do britânico Dave Stewart, que já trabalhou com o Anathema. Por fim, aos sonhadores de ao menos um flerte com a fase antiga más notícias... Já quem aprecia esse Opeth novo e muito bem estruturado, pode ir tranquilo. No mais, música boa de qualidade.


8,5

Vitor Franceschini



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Shinigami Records