quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Entrevista Warmask



Divulgando o ótimo EP “Better You Start To Run” (2015), os gaúchos do Warmask surpreenderam o underground com sua sonoridade extrema, porém atual. Já trabalhando em seu primeiro disco completo, a banda almeja vôos mais altos e não demonstra preocupação em declarar suas influências. Conversamos com o guitarrista e vocalista, Paulo Henrique Ramos, que nos contou um pouco sobre a banda, o EP e trabalhos futuros.

Primeiramente queria que a banda se apresentasse e contasse um pouco da sua história, de como foi formada, enfim...
Paulo Henrique Ramos: Gostaria de agradecer a oportunidade de poder estar falando um pouco mais sobre a banda e nosso trabalho. A banda começou comigo, Paulo Henrique (guitarra e vocal), e meu irmão, Eduardo Ramos (baixo), no inicio de 2014. Nós já tínhamos prontos muitos riffs e algumas ideias de letra, reorganizamos as estruturas dos sons e nisso entrou o Jonatã Reinheimer (bateria) e gravamos nosso EP.

E desde que vocês iniciaram com a banda vocês começaram a compor o que seria o EP “Better You Start To Run”?
Paulo: Exato. E por querer ter um material de qualidade desde o primeiro show decidimos logo de cara gravar o EP.

Vocês sempre tiveram a intenção de se enveredarem para os lados do Groove Metal?
Paulo: O Groove Metal é mais um subgênero do Thrash Metal, a única diferença é que o som é mais cadenciado com mais ritmo. A gente não se define em um estilo de som, por que isso acaba limitando ou rotulando a banda. Se auto definir Thrash/Death/Sludge/Groove seria algo muito confuso pra colocar num cartaz de show abaixo do nome da nossa banda, mas sim desde o inicio da banda a ideia era ter um som com bastante energia.

Aliás, falando da sonoridade encontrada no EP, a banda mostra algo atípico no estilo que é o clima mais denso, mais sério e menos despojado do estilo. Vocês concordam com isso? Isso foi algo proposital ou que fluiu naturalmente?
Paulo: Essa mistura, com pegadas de Slayer e Black Sabbath flui naturalmente no nosso som, mas fragmentos mais densos são encontradas em musicas do Pantera, Sepultura do “Chaos A.D.” (1993), Lamb of God, primeiros álbuns do Mastodon; e são bandas consideradas Groove Metal.

Também há flertes com o Thrash e o Death Metal. Vocês são fãs destes estilos?
Paulo: Sim, somos muito inspirados pelo Thrash e por Death. Como o nome Thrash é algo que compara muito o som da banda com a galera do Big 4, da Bay Area, dos alemãs, a gente não se intitula Thrash, mas se pegar músicas do Slayer, do Exodus, Testament, Sodom... É o mesmo estilo de som que o nosso, algumas coisas mudam por conta do vocal mais gutural, solos mais simples, mas sonoramente em geral é a mesma linha.

Outra coisa que chama atenção em “Better You Start To Run” são os fortes refrãos. Qual importância vocês vêem nos refrãos e como foi trabalhar neles?
Paulo: Nós achamos muito importante, pois marca o som, ele fica ecoando mesmo sem estar escutando a música. Quando o som segue uma estrutura mais complexa não fica tão fácil encaixar um refrão, mas como nossos sons seguem uma estrutura simples é tranquilo criar um refrão marcante.

O título do álbum, “Better You Start To Run”, soa imponente. Que mensagem vocês tentaram passar com ele?
Paulo: “Better You Start to Run” é um trecho do segundo verso da música Your Time to Fall, é uma mensagem subliminar pra um momento de raiva. Quando a pessoa está cheia de ódio, com sangue no olho, é melhor não se aproximar ou começar a correr.

E por que resolveram produzir o trabalho de forma independente, sem contar com um produtor de fora da banda?
Paulo: A principal função de um produtor é guiar a banda pro caminho que a banda já está a fim de seguir, dar mais foco e organização na criação ou na hora da gravação. Nós mesmos já temos uma concepção do que queremos e onde queremos chegar. Não digo que para trabalhos futuros não iremos trabalhar com um produtor, mas achamos importante estarmos livres pra arriscar em qualquer aspecto.

E como tem sido a repercussão do trabalho até então?
Paulo: Estamos muito contentes com a repercussão do EP, até então todas as resenhas e críticas foram muito positivas. Sabendo que atualmente muita banda foca em uma sonoridade trabalhada e bem técnica, seja individual ou na estrutura da música, nosso som sai desse padrão por ser mais simples e mesmo assim a galera esta curtindo.

Vocês estão trabalhando no primeiro álbum. O que podem nos adiantar a respeito? Ele seguirá a sonoridade do EP?
Paulo: Estamos passando um “pente fino” em todos os detalhes, terminando algumas letras, mas as estruturas das músicas novas já estão prontas. O álbum é na mesma linha do EP, os sons vão direto ao ponto, sem muita frescura.

Em relação a shows, como está a agenda da banda?
Paulo: Estamos com data confirmada pro Storm Festival 59, dia 24/10 em São Leopoldo/RS na Embaixada do Rock e outros dois festivais no inicio do ano que vem. Mas estamos atrás de mais datas em diferentes regiões do país e do estado.

Podem deixar uma mensagem aos leitores.
Paulo: Agradecemos mais uma vez pela oportunidade e aproveitar para divulgar nossos materiais, estamos com o EP “Better You Start to Run” a R$5,00 e nossa camisa com uma arte muito foda feita pelo artista Hugo Silva a R$30,00. Interessados para shows e nossos materiais, entrar em contato via Facebook ou por e-mail.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Shinigami Records