quarta-feira, 22 de junho de 2016

Death Angel – “The Evil Divide”

(2016 – Nacional)
                                            
Shinigami Records

Desde que retornou com o álbum “The Art of Dying” (2004), o Death Angel resgatou a sonoridade que moldou no final da década de oitenta – quando estreou com seu debut “The Ultra-Violence” (1987) – vestiu uma roupagem dos anos 2000 e lançou discos regulares, sendo que o anterior a este, “The Dream Calls for Blood” (2013) foi o ápice do grupo até então.

Portanto, “The Evil Divide” veio com a difícil missão de superar o trabalho anterior que mostrava peso e equilíbrio acima da média. O novo disco soa exatamente com a mesma formula de seu antecessor, talvez mais agressivo e naturalmente mais bem produzido, porém, finalizando comparações, o disco no máximo empata com “The Dream Calls for Blood”.

Claro, as qualidades aqui são infinitas, afinal estamos falando de uma banda tradicional do Thrash Metal da Bay Area, berço do estilo. Com um trabalho primoroso de Rob Cavestany e Ted Aguilar nas guitarras, os riffs se destacam por serem despejados a esmo e estarem muito bem encaixados.

Mark Osegueda é o outro destaque, afinal é a voz da banda desde sempre e de qualquer forma soa como a assinatura do grupo. Sua interpretação está mais versátil e o cara parece estar cada vez melhor. Claro que a cozinha formada por Damien Sisson (baixo) e pelo batera Will Carrol não fica atrás, sendo responsável pela variação rítmica e quebradas certeiras.

A produção a cargo de Jason Suecof e do próprio Cavestany soa perfeita e atual sem ser muito pasteurizada. Destaque para composições certeiras como The Moth, a melódica e moderna Lost, além das fábricas de riffs Father of Lies e a ‘hardcorer’ Hell to Pay. A capa é feia pra caramba.


8,5

Vitor Franceschini


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Shinigami Records