sexta-feira, 21 de julho de 2017

Anvil – “Anvil is Anvil”

(2016 – Nacional)
                                        
Shinigami Records

O Anvil é uma banda legal pra caramba, que tem uma história muito interessante e conta com um dos ‘frontman’ mais carismáticos (e caricato) do Metal mundial. Ao mesmo tempo, o grupo que em seu início chegou a lamber a cara do ‘mainstream’, passou a ser ‘cult’ e nunca teve o reconhecimento que merecia.

Após o documentário “Anvil: The Story of Anvil” (2008), que mostrou que a banda levava uma vida normal no ‘underground’ (incluindo aí calotes nos shows, dificuldades para lançar um álbum e seus músicos com empregos normais), o grupo deu uma guinada, mas sua sonoridade continuou a de sempre. Isto é, um Metal poderoso, honesto e feito por quem entende do assunto.

O título “Anvil is Anvil” não poderia soar mais propício, afinal, o décimo sexto disco de estúdio da banda define exatamente o que é esse trio canadense. O Heavy Metal continua intacto, com sua pegada certeira e ainda traz, de leve, algumas levadas Hard (do início de carreira) e o tradicional flerte com o Thrash Metal que sempre fez parte da sonoridade da banda.

Individualmente, o vocalista e guitarrista Steve "Lips" Kudlow faz um trabalho impecável, com riffs excelentes e sua típica e tradicional interpretação. O baixista Chris Robertson faz seu arroz com feijão sem se comprometer, sendo que Robb Reiner é o destaque individual do trabalho. Como toca este baterista, que precisão, que versatilidade e que pegada! Impressiona como ele explora seu kit, encaixando batidas e viradas complexas até mesmo em composições mais simples.

O início com músicas como Daggers and Rum e Up, Down, Sideways é Speed/Heavy Metal puro e irá agradar as fãs das antigas, sendo que ainda pode-se destacar faixas como Zombie Apocalypse, It’s Your Move, Ambushed e Fire on the Highway. A produção de Martin ‘Mattes’ Pfeiffer em parceria com a própria banda também merece menção pela timbragem perfeita e natural!


8,5

Vitor Franceschini


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Shinigami Records