quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Entrevista



São 13 anos de carreira, mas por problemas de formação, até então os gaúchos do Abate Macabro não tinham lançado seu debut, ficando somente em trabalhos demonstrativos. Mas, depois da formação estabilizada, no segundo semestre de 2014 o tão sonhado primeiro álbum saiu e a espera valeu à pena. Afinal, o Black Metal executado pelo trio Aécio Podre Anticristo (bateria/vocal), Ioannes Grimgore (guitarra/vocal) e Duda Mendigore (baixo/vocal), é de alto calibre unindo técnica e agressividade sem dar espaços para outras ‘incrementações’. Conversamos com Aécio e Ioannes que falaram sobre o álbum e não esconderam suas influências, além de muito mais.

O Abate Macabro se formou em 2002 e mesmo tendo lançado duas demos e um split, somente em 2014 o primeiro full-lenght saiu. Por que essa demora?
Aécio – Buenas Vitor Hugo, primeiramente lhe agradecemos pela baita força nos cedendo esse espaço. A Abate Macabro passou por diversas formações desde o início das atividades, talvez esse tenha sido um ponto fundamental para que demorássemos tanto para concluir as gravações do nosso primeiro full-lenght, até porque os sons desses álbum já estavam prontos há um certo tempo, poderíamos ter gravado antes, mas por inúmeros motivos acabamos demorando mais tempo do que o previsto.
Ioannes – Houve muitas mudanças de formação e de própria identidade sonora da banda, apesar da firme influência que se mantém até hoje. Algumas músicas demoraram anos para serem finalizadas e queríamos lançar um álbum que soasse exatamente como gostaríamos. Temos certeza de que valeu a pena todo esse esforço e paciência.

E como foi compor “Açougueiro Brutal Black Metal”? As músicas foram compostas especialmente para o álbum ou há composições mais antigas que entraram para o debut?
Aécio – Na verdade, juntamos todos os sons que estávamos tocando nos shows e mais a Kill the Lord que era uma música antiga de 2005 e que nós não tocávamos há um bom tempo e gravamos, para que o CD ficasse com um número bom de músicas. Para um próximo álbum pretendemos gravar somente composições novas.
Ioannes – Algumas músicas vinham sendo trabalhadas desde muitos anos, tal como a música instrumental, outras, tais como a Defecating in the Christ Visceras foram montadas especialmente para o álbum com riffs e passagens que já existiam desde que eu (Grimgore) entrei para a banda.

Afinal, qual o significado e o que querem passar com título “Açougueiro Brutal Black Metal”?
Aécio – O título serve para demonstrar tudo que está escrito em nossas letras, nossa sonoridade, nosso logo, a capa do álbum e todas as nossas influências musicais se resumem à “Açougueiro Brutal Black Metal”, não gostamos de soar clichê e nem queremos copiar o que já existe no mercado.
Ioannes – É o nosso “rótulo”, nosso estilo de Black Metal, brutal, sem frescura e sem receita, as músicas são como navalhas carneando a mente de quem ouve.



A sonoridade da banda é focada no Black Metal direto e objetivo. Porém, vocês tomam cuidado na execução das músicas. Fale-nos um pouco a respeito disso.
Aécio – Com o passar do tempo, procuramos transparecer um pouco mais de técnica nas músicas, aliado a agressividade e velocidade, mas não podemos perder o “feeling”, as músicas têm partes mais brutais e outras mais cadenciadas para que não soem sempre iguais.
Ioannes – Sempre cuidamos do nosso som, trabalhamos muito em cima de cada sequência de riffs, de como fechar a letra, como deixar nosso som feroz e brutal com algumas passagens mais cadenciadas e que proporcionam uma sonoridade digna do Black Metal. Gostamos de tocar do nosso jeito, essa é a nossa identidade.

Esse cuidado também transparece na produção do trabalho feita pela própria banda e Ernani Savaris. Como foi trabalhar com Ernani? Enfim, como foi este processo de uma forma geral?
Aécio – O Ernani tocava comigo na banda Sangria (Brutal Death Splatter), sempre foi uma pessoa muito dedicada e um grande fã de bandas extremas. Ernani é um cara muito simples, humilde e de grande visão, um gênio do Metal extremo, nos ajudou muito dando boas ideias e cuidando de toda gravação, mixagem, masterização e parte gráfica. Ele já gravou bandas como: Sangria, Rotten Penetration, Lethal Sense, Abate Macabro, Atropina, Cripta Mortis, Caveira, Supersonic Brewer, etc..., realmente ele manja de Metal extremo.
Ioannes – Conhecemos o Ernani de longa data e sabemos da aptidão musical que ele tem, tanto para tocar quanto para gravar. Recém tínhamos finalizado um trabalho com ele gravando um álbum da Rotten Penetration e ficamos muito contentes com resultado, não tivemos dúvidas na hora de acertar o trabalho com ele.

Nota-se também que o Abate Macabro não se preocupa em soar ‘assim ou assado’ e carrega influências desde o Black Metal escandinavo até do Metal extremo nacional. Vocês concordam com isso? O que podem falar a respeito?
Aécio – Com certeza, temos muita influência de bandas como: Marduk, Immortal e Enthroned, e isso fica bem visível em nossa sonoridade. Mas temos influências da parte “Açougueiro”, que são: Dying Fetus, Deicide, Aborted, Exhumed, Severe Torture, Belphegor, Behemoth, Cryptopsy, Nile, Sarcastic, Flesh Grinder, Lethal Sense, Disgorge Americano e Mexicano, Obituary, Kabak, Rebaelliun, Krisiun, Mental Horror, Anarkhon, Rotting Flesh, Sarcófago, Amaduscias, Southern Warfront, Vomepotro, Death, Cannibal Corpse, Infected Flesh, Necrotério, Sinister, Vomitory, Suffocation e por aí vai... Junta tudo isso, coloca em um liquidificador com cachaça de colônia e você terá a sonoridade da Abate Macabro (risos).
Ioannes – Temos várias influências de várias vertentes do Black Metal, desde um Marduk, Enthroned até um Immortal, Maniac Butcher. Algumas passagens têm influência direta de Sarcófago ou até mesmo de bandas de outros estilos que gostamos. Na Abate gostamos de fazer um som direto que seja brutal aos ouvidos, ríspido, mas que ao mesmo tempo tenha boas notas trabalhadas. Esse é o som que gostamos, esse é o som quem fazemos.


Aliás, um cover do Immortal para a faixa Unsilent Storms in the North Abyss foi incluído no álbum “Açougueiro Brutal Black Metal”. Por que escolheram incluir um cover e por que essa música?
Aécio – Immortal para os membros da Abate Macabro é considerada uma banda perfeita, os caras conseguem fazer algo inacreditável e soar de forma única, ‘entonces’, resolvemos gravar um cover deles para homenageá-los. A vontade que nós temos é de gravar todos os sons deles, pois, é um melhor que o outro, mas fica registrada a nossa singela homenagem aos nossos ídolos com a inclusão desse som em nosso full-lenght.
Ioannes – A escolha é simples, essa é uma música que tocamos há muito tempo, foi uma música importante na época que estávamos firmando nossa formação que gravou o álbum. Gostamos muito de Immortal e essa música representa bem tudo isso. A ideia de colocar no álbum foi justamente para registrar esse histórico todo e para podermos agora pensar e mais covers com o mesmo peso dentro da banda.


Falando nisso, a banda também regravou a faixa Porco Dio cantada em italiano. Por que decidiram gravar uma música neste idioma? Falem um pouco dessa música.
Aécio – A ideia partiu do Ioannes (guitarra e vocal). Como Porco Dio é uma expressão bastante utilizada aqui na nossa terra quando algo dá errado, acabou surgindo o som e a letra toda em Italiano. Somos todos descendentes de italianos e isso acabou pesando bastante na hora de compor essa letra, que também serve para homenagear todos os colonos do mundo inteiro (risos).
Ioannes – Porque o povo italiano é o povo mais ‘blasfêmico’ do mundo, somos todos descendentes de italianos e crescemos ouvindo xingamentos, dentre eles o mais clássico é o Porco Dio. Decidimos regravá-la, pois a queríamos no nosso debut.

E como “Açougueiro Brutal Black Metal” tem sido recebido pela crítica e pelo público? Vocês chegaram a lançá-lo no exterior?
Aécio – Até o presente momento só recebemos críticas positivas, e isso é muito bom. Todos elogiaram as músicas, a gravação, a arte gráfica, impressão no CD e do encarte, realmente as críticas tem sido bem positivas. O material foi lançado somente no Brasil com a parceria de vários selos, os quais eu não poderia deixar de citar e de agradecer a todos esses Hermanos que sempre nos apoiaram, são eles: Kadax e Nyarlathotep Records, Luiz e Violent Records, Alexandre e Terceiro Mundo Chaos, Cleberson e Underground Store, Vagner e Interior Soul, Maurício e Blasphemic Art, Rodolfo e Rock Animal e Diomar e Rotten Foetus, valeu por toda essa força Hermanos!!!
Ioannes – Estamos orgulhosos do que temos lido a respeito e temos ouvidos principalmente de amigos e fãs. Gostamos quando as pessoas que acompanham nosso trabalho elogiam e reconhecem nossa podreira.


O Brasil tem revelado ótimas bandas de Black Metal nos últimos anos. Como vocês vêem e o que acham da situação atual do estilo por aqui?
Aécio – Temos bandas muito boas aqui no Brasil, não somente no Black Metal, mas também no Death, Grind, Splatter e Thrash Metal. A cena Brasileira é muito boa, eu particularmente sou fã de muitas bandas daqui, e poderia ficar horas citando todos os nomes delas, mas deixo um recado às mesmas: Continuem apodrecendo nosso underground, porque vocês são foda!!!
Ioannes - Acho que muitas bandas vêm fazendo ótimos trabalhos, pessoalmente eu prefiro as bandas que soam rápidas e brutais, não tenho paciência para músicas chatas e arrastadas. Temos ótimas bandas aqui no Brasil.

Quais os planos para 2015? Enfim, como está a agenda da banda?
Aécio - Já temos alguns shows marcados para este ano, vamos organizar alguns festivais também e pretendemos gravar nosso primeiro clipe até o fim do 1° semestre de 2015, e quem sabe para o fim deste ano lançamos mais um full.
Ioannes – Divulgar ainda mais o nosso debut, fazer shows e quem sabe se sobrar um tempo começar a anotar novas ideias para os próximos sons.

Muito obrigado. Este espaço é de vocês.
Aécio – Mais uma vez muito obrigado pelo espaço que tu nos cedeste, Vitor Hugo. Agradeço em nome de toda a banda Abate Macabro, a todos os leitores, amigos, fãs da banda, enfim, todos que sempre nos deram uma força. Valeu mesmo gurizada, continuem podres!!!
Ioannes – Nós que agradecemos ao espaço e oportunidade de poder conversar com nosso público.

https://www.facebook.com/abatemacabro

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Shinigami Records