terça-feira, 29 de agosto de 2017

Weakless Machine – “Manipulation”

(2017 – Nacional)

Independente

Banda nova na área. O Weakless Machine, banda oriunda de Porto Alegre/RS, é formado atualmente por Jonathan Carletti (vocal), Fernando Cezar Junior (guitarra) e Gustavo Razia (baixo), além do baterista Luke Santos, que gravou o disco e deixou a banda.

A proposta gira em torno do Thrash Metal, mas a banda não traz influências retro e rema pra frente. Adotando boas doses de groove e uma ótima alternância de ritmos, o grupo consegue estabelecer uma sonoridade pesada e cativante, que transborda energia.

Com uma produção excelente e atual, a cargo de Renato Osório (Hibria), a banda consegue distribuir riffs que se tornam uma massa sonora intensa e que se aliam a uma cozinha que dita um ritmo potente. Tudo tendo à frente vocais ora semi-guturais ora limpos, que soam de acordo com o que a música pede.

A faixa de abertura, que leva o nome do disco, é surpreendente e uma das melhores músicas que surgiu no estilo nos últimos anos. Lembra o atual Testament e mostra uma energia que leva o ouvinte a se interessar pelo disco inteiro, além de possuir um ritmo meio abrasileirado. Ainda pode-se destacar composições como Tarred with the Same Brush, Kill e Tribal Wars.

Uma bela estreia desses gaúchos, que conseguem provar que o Metal moderno pode ser bacana sem soar forçado, além de garantir qualidade em termos de músicas atuais. Como referência pode-se dizer que fãs do já citado Testament (atual), Machine Head e Ektomorf irão curtir o trabalho.


9,0

Vitor Franceschini


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Shinigami Records