quinta-feira, 4 de outubro de 2018

Riot – “Fire Down Under”


(1981 – 2018 – Relançamento – Nacional)

Hellion Records

São mais de quarenta anos dedicados ao Heavy Metal, mesmo se partirmos do pressuposto que hoje o Riot não é mais uma banda de alto escalão e acrescentou o V (5 em algarismo romanos) em seu nome, temos aqui um dos responsáveis pela consolidação do Metal norte-americano e por ajudar a criar o Power Metal. Isso mesmo.

“Fire Down Under” foi originalmente lançado em 1981 pela Elektra Records e recebe essa nova versão nacional através da Hellion Records. O disco é o terceiro do lendário grupo e último com o vocalista original Guy Speranza, morto em 2003 devido a uma pancreatite.

“Fire Down Under” é um disco que resume bem o que é o Riot. Heavy Metal em sua essência, mas com teores de Hard e o ainda inexistente Power Metal, que não era conhecido e concebido com tal na época. As quatro primeiras faixas do disco traz isso. Swords & Tequila e a faixa título primam pela velocidade e agressividade, sendo objetivas, com riffs pegajosos e melodia insana. A primeira mais cadenciada e Fire Down Under à velocidade da luz.

Feel The Same é aquela composição que eleva o status clássico do Metal, com uma levada mais branda, dedilhados de guitarras e fraseados dignos da NWOBHM. Enquanto isso Outlaw, mesmo pesada, carrega uma levada e refrão que nos remetem ao Hard Rock cru e simples.

Claro que o disco não se resume a essas composições, prova disso que faixas como Don´t Hold Back com seu riff e levadas cavalgadas e Run For Your Life completam o pacotão de destaques, mas com as não citadas ali, um pezinho apenas atrás. Impressiona a qualidade vocal de Guy e o a pegada da cozinha, com sua condução precisa das composições.

Essa versão ainda traz dois bônus, um para a Rock Heavy Misty Morning Rain e You're All I Needed Tonight, um Hard Rock clássico e contagioso. Hoje um clássico absoluto, “Fire Down Under” alcançou o posto de 99 no chart 200 da Bilboard no ano de seu lançamento, o que é um marco e tanto. Obrigatório.


9,0

Vitor Franceschini

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Shinigami Records